Publicidade

Correio Braziliense

Ao menos 5 mil pessoas fazem fila para conseguir emprego em supermercado

Funcionários da empresa disseram que centenas de pessoas dormiram na fila. Na manhã de hoje, mais candidatos chegam a todo momento com o currículo em mãos para tentar garantir uma vaga


postado em 17/05/2019 10:40 / atualizado em 17/05/2019 12:26

Centenas de candidatos dormiram na fila, ao saber das vagas, e mais milhares apareceram na manhã desta sexta-feira (17)(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Centenas de candidatos dormiram na fila, ao saber das vagas, e mais milhares apareceram na manhã desta sexta-feira (17) (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
A oportunidade de emprego em um novo supermercado de Valparaíso (GO) atraiu uma multidão de candidatos em busca de uma colocação no mercado de trabalho, entre a noite de quinta (16/5) e a manhã desta sexta-feira (17/5). Segundo funcionários do setor de Recursos Humanos da empresa, pelo menos 5 mil pessoas já compareceram para entregar o currículo. Centenas dormiram na fila e não para de chegar gente. 

O Supermercado Vivendas fica no Parque Marajó, entre Valparaíso e Cidade Ocidental, ambos municípios goianos.  Os responsáveis pelo estabelecimento fizeram o anúncio nas redes sociais. Uma faixa em frente à construção também chamava os interessados: "Compareça no dia 17 com o currículo em mãos". A notícia logo se espalhou, atraindo moradores de diferentes lugares. A inauguração da loja está prevista para 7 de junho.

As entrevistas estão sendo realizadas hoje (17/5) mesmo, com uma equipe reforçada de 50 funcionários do RH, que chegaram às 9h e ficarão no local até as 20h. Ao todo, a empresa oferece 300 vagas de emprego, entre as funções estão operador, repositor, padeiro, gerente, operador de caixa, atendente, entre outras.

Ver galeria . 10 Fotos Ana Rayssa/CB/D.A Press
(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press )

 
Até as 10h, só estavam sendo entrevistados candidatos que chegaram no dia anterior e dormiram na fila a procura de uma oportunidade, como William Gonçalves, 44 anos. Desempregado há 10 anos, ele passou por muitas dificuldades até ser entrevistado. "Vim para cá ontem às 18h, com meu banquinho. Aí dormi em uns pedaços de madeira que encontrei por aqui, passando frio". O candidato quer uma vaga para trabalhar na empilhadeira e disse nunca ter passado por isso antes. 

As entrevistas estão sendo realizadas nesta sexta-feira (17), com uma equipe reforçada de funcionários do RH(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
As entrevistas estão sendo realizadas nesta sexta-feira (17), com uma equipe reforçada de funcionários do RH (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)


“Estamos há uma semana realizando a operação de contratação. Estamos fazendo processos seletivos e contratando hoje, e algumas pessoas que procuram por vagas que necessitam de testes, eles teste são feitos hoje, para a função,por exemplo, de açougueiro”, disse o gerente administrativo Thiago Gomes Nascimento.

Muitos candidatos que comparecem ao processo seletivo moram no DF. No entanto, Thiago ressalta que a preferência, no momento, é para aqueles que residem próximo ao supermercado. “Mas as pessoas que não forem contratadas não precisam desanimar. Estamos montando um banco de vagas e podem ser contratadas depois em unidades mais próximas de onde moram”, destacou o gerente administrativo.

Surpresa

Thiago contou que cerca de 10 pessoas chegaram ao local às 8h de quinta-feira (16/5), com colchões e barraca. Assim que os gerentes passaram pelo grupo, a surpresa. Eles foram contratados, sem precisar passar pelo processo seletivo. “A primeira pessoa que chegou disse que tinha gente passando aqui em frente e chamando ela de louca pelo horário que chegou. E quando foi contratada chorou bastante”, comentou.

Na fila quilométrica, os candidatos tentam animar uns aos outros para não desistir. Por volta das 11h a Polícia Militar chegou no local para ajudar a organizar a segurança e o controle das pessoas que estão em frente ao supermercado.

A maioria das pessoas que tenta uma vaga estão sem comer desde ontem. Por isso, o supermercado passou a servir pães, leite e frutas. "Já é a sexta vez que eu durmo em fila para conseguir uma vaga de emprego que sustente minha família. Passamos fome, frio, nos sentimos como os moradores de rua mesmo", desabafou Alexsander Assis, 20, desempregado há 8 meses. Outra angústia veio por volta de 11h, quando começou a chover no local.

Desemprego

Um levantamento recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que a taxa de desemprego cresceu em 14 estados no primeiro trimestre deste ano. O estado de Goiás registrou uma das maiores elevações: a quantidade de desempregados saltou de 8,2% para 10,7%.
 





Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade