Publicidade

Correio Braziliense

MPDFT implanta Núcleo de Combate ao Crime Cibernético no DF

O objetivo é oferecer apoio qualificado às promotorias de Justiça do DF, especialmente em ações que envolvam o uso de tecnologias cibernéticas na prática criminosa


postado em 17/05/2019 21:06 / atualizado em 17/05/2019 21:06

(foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)
(foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)
 

A procuradora-geral de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, Fabiana Costa, assinou, nesta sexta-feira (17/5), documento que cria o Núcleo Especial de Combate a Crimes Cibernéticos (Ncyber). A área será coordenada pelos promotores de justiça Leonardo Otreira e Rodrigo Fogagnolo. O objetivo é oferecer apoio qualificado às promotorias de Justiça do DF, especialmente em ações que envolvam o uso de tecnologias cibernéticas na prática criminosa

 

O crime cibernético é caracterizado pelo uso da tecnologia, do computador e da internet para viabilizar ou potencializar a atividade criminosa. Somente os MPs da Bahia e de Santa Catarina contam com iniciativas nessa área. No Distrito Federal, a Polícia Civil será uma das pioneiras a se estruturar para o combate a crimes cibernéticos.

 

A intenção da criação do Núcleo é propiciar uma ação conjunta, organizada e eficaz para combater crimes cibernéticos e, assim, fortalecer a proteção dos direitos da sociedade. “O MPDFT está atento ao uso da tecnologia e da criatividade na prática criminosa. Vamos trabalhar e utilizar os mesmos recursos na investigação e no combate a esses crimes, sempre com a finalidade de proteger e defender o cidadão”, destacou a procuradora

 

Estatísticas

No Distrito Federal, segundo dados divulgados pela Polícia Civil, os registros mais comuns são de crimes contra a honra na internet (45%), seguidos de estelionatos virtuais (20%) e calúnia (4%).

 

Com informações do MPDFT 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade