Publicidade

Correio Braziliense

No DF, 25% das vítimas de estupro são crianças e adolescentes

Levantamento do MPDFT mostra que casos de violência contra crianças crescem. Em 2018, 1699 ocorrências de estupro de vulnerável foram registradas


postado em 17/05/2019 21:29

(foto: Valdo Virgo/CB/D.A Press)
(foto: Valdo Virgo/CB/D.A Press)
Dados do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) mostram que no ano passado, cerca de 25% das vítimas de estupros foram crianças e adolescentes. Além disso, 20% dos alvos de crimes contra a dignidade sexual, maus-tratos e importunação ofensiva ao pudor são menores de idade.
 
Apenas em 2018, foram registrados 1.699 novos casos de estupro de vulnerável, quando a vítima tem menos de 14 anos de idade. Isso representa um aumento de 30,6% em relação a 2017, com 1.301 casos. Segundo o levantamento feito pela Corregedoria do MPDFT, as cidades com mais registros são Ceilândia (137 ocorrências) e Samambaia (121).
 
Proporcionalmente, entre os casos recebidos pelo MPDFT envolvendo crimes contra a dignidade sexual, maus-tratos e importunação ofensiva ao pudor, Brazlândia teve mais ocorrências contra crianças e adolescentes. Dos 143 registros, 77 deles foram contra jovens.
 
18 de maio é o dia nacional de combate ao abuso e exploração sexual infantil. A data faz referência à morte de Araceli Sanches que, em 1973, quando tinha 8 anos de idade, foi raptada, dopada, violentada e teve o corpo carbonizado depois da morte. O crime aconteceu em Vitória, capital do Espírito Santo e os culpados nunca foram punidos.
 
No mesmo ano, em Brasília, outra criança foi brutalmente assassinada em um caso que também nunca foi solucionado. Há 45 anos, Ana Lídia, de 7 anos, era levada com vida do colégio e encontrada morta, no dia seguinte, nua, com os cabelos louros cortados de forma irregular, bem rente ao couro cabeludo, e violentada, em uma cova rasa no cerrado. Tocada durante o mais duro período da ditadura militar, uma investigação cheia de falhas resultou em impunidade. 

O que fazer

O Ministério Público alerta que caso uma pessoa suspeite de que uma criança ou adolescente é vítima de violência pode fazer uma denúncia para:
  • Conselho Tutelar, Centro Integrado
  • Centro Integrado 18 de maio
  • Delegacia de Proteção da Criança e Adolescente ou demais delegacias
  • Ouvidoria do MPDFT
  • Disque 100
  • Polícia Federal (para crimes internacionais e interestaduais)
  • Polícia Rodoviária Federal (para crimes nas rodovias federais)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade