Publicidade

Correio Braziliense

Após surto de caxumba em escola do DF, alunos e professores são vacinados

A Secretaria de Saúde confirmou, nesta quarta-feira (22/5), surto de caxumba no Ced 7. Equipe de vacinação foi enviada ao local para imunizar alunos e funcionários


postado em 23/05/2019 14:23 / atualizado em 23/05/2019 21:56

Cerca de oito profissionais estão no colégio realizando a vacinação de alunos, professores e funcionários(foto: Fabíola Testi/CB/D.A Press)
Cerca de oito profissionais estão no colégio realizando a vacinação de alunos, professores e funcionários (foto: Fabíola Testi/CB/D.A Press)
Após a confirmação de surto de caxumba no Centro Educacional (CED) 7 de Ceilândia, uma equipe de vacinação realiza, nesta quinta-feira (23/5), ação dentro da escola para imunizar todos os alunos, professores e funcionários. Até o início da tarde, 50 pessoas foram vacinadas contra a doença. 

Cerca de cinco profissionais da saúde e três estudantes de enfermagem da Universidade de Brasília (UnB) estão no local realizando a vacinação. Ao todo, 100 unidades da vacina tríplice viral (contra caxumba, sarampo e rubéola) foram levadas à escola para imunizar os alunos e funcionários. 
 
Até o início da tarde, 50 pessoas receberam a vacina no Ced 7. Ao todo, 100 doses foram levadas ao local para imunizar os alunos, professores e funcionários(foto: Fabíola Testi/CB/D.A Press)
Até o início da tarde, 50 pessoas receberam a vacina no Ced 7. Ao todo, 100 doses foram levadas ao local para imunizar os alunos, professores e funcionários (foto: Fabíola Testi/CB/D.A Press)

Os profissionais da saúde estão atendendo desde 8h, dentro de uma sala, devidamente esterilizada, e os alunos são chamados por turma. Na tarde de ontem (22/5), os agentes foram até escola e conferiram os cartões de vacinação dos alunos e levantaram aqueles que não estavam imunizados. Eles foram orientados a tomar a dose da vacina. 

Para os alunos e funcionários que não tiverem o cartão de vacina, os profissionais da saúde entregam um novo para registrar a dose da tríplice viral(foto: Fabíola Testi/CB/D.A Press)
Para os alunos e funcionários que não tiverem o cartão de vacina, os profissionais da saúde entregam um novo para registrar a dose da tríplice viral (foto: Fabíola Testi/CB/D.A Press)
A ação na escola iniciou após a direção do Ced 7 ter comunicado a Secretaria de Saúde sobre os casos de caxumba. Para receber a dose da tríplice viral, é preciso apresentar o cartão de vacina. Aos alunos, docentes e funcionários que não têm o cartão, os profissionais da saúde entregam um novo documento na hora da vacinação. Segundo a coordenadora pedagógica do colégio, 13 alunos entregaram atestado de caxumba, mas vários outros apresentaram os sintomas da doença. 
 
A estudante Sabrina Maciel, 16, contou que sete alunos de sua turma estão sem comparecer às aulas. "Meu amigo ficou seis dias sem vir e quando voltou ainda estava com o rosto bem inchado", relata. A aluna, após a vacinação, ressaltou o medo que tem de contrair a doença. "Falam que dói muito quando você tá com caxumba, eu não quero sentir isso, por isso vacinei", disse. 

Surto

A Secretaria de Saúde confirmou que cerca de 20 pessoas apresentaram sinais da doença no CED 7 nos últimos dias. O órgão informou que ao ter conhecimento dos casos de caxumba, a Coordenação Regional de Ceilândia acionou a Vigilância Epidemiológica. Uma das primeiras medidas tomadas foi o envio de uma equipe para a conferência das carteiras de vacinação de estudantes e servidores.
 
* Estagiárias sob supervisão de Adriana Bernardes

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade