Publicidade

Correio Braziliense

Adolescente desaparece após sair de condomínio próximo ao Taguaparque

Milena Costa Rodrigues vestia calça e blusa preta. Ela também levava uma mochila lilás nas costas. Pais registraram ocorrência na Polícia Civil


postado em 23/05/2019 20:29 / atualizado em 24/05/2019 00:01

Milena tem 12 anos e saiu de casa com mochila nas costas(foto: Arquivo pessoal/Divulgação)
Milena tem 12 anos e saiu de casa com mochila nas costas (foto: Arquivo pessoal/Divulgação)
Uma adolescente de 12 anos saiu de casa, na Colônia Agrícola Samambaia, no início da tarde desta quinta-feira (23/5), e não voltou mais. Os pais de Milena Costa Rodrigues registraram ocorrência de desaparecimento da menina na 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro) e estão em busca de informações a respeito da filha. A garota deixou o condomínio a pé, às 13h20. Ela vestia calça e blusa preta e estava com uma mochila lilás nas costas.

O pai da adolescente, Ronan Rodrigues Carneiro, 41 anos, contou que mãe e filha se encontraram e conversaram na residência por volta das 12h. A mulher saiu para trabalhar as 12h50 e deixou Milena com o irmão mais novo, de 6 anos, como todos os dias, até o companheiro chegar em casa. O bancário retornou às 14h e Milena não estava mais em casa. "Perguntei para meu filho onde ela estava e ele disse que a irmã tinha dito que 'ia ali'", explicou Ronan.

Milena saiu sem celular nem dinheiro, mas ela deixou escrito avisando que havia pegado um saco de dormir e um cobertor. "Fizemos ocorrência na delegacia e estamos nos mobilizando pelas redes sociais para encontrá-la. A mãe está desesperada. Chora muito e está preocupada", enfatizou o pai da adolescente.

Parentes e amigos da família estão mobilizados para encontrar Milena. "O máximo que ela já fez foi ir até a padaria que fica a 500m de casa, mas nunca à noite. Ela não sabe nem pegar um ônibus, o que nos angustia mais ainda", relatou o pai, apreensivo.
 
Quem tiver visto Milena pode acionar o pai pelo telefone (61) 99258-4729. Qualquer informação também pode ser passada pelo telefone da Polícia Civil, o 197.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade