Publicidade

Correio Braziliense

Após 23 dias de greve, Metrô-DF apresenta nova proposta a metroviários

A paralisação começou em 2 de maio, após os funcionários não aceitarem as propostas da companhia


postado em 24/05/2019 18:52 / atualizado em 24/05/2019 18:52

A Companhia apresentou novas propostas aos servidores nesta sexta-feira (24/5)(foto: Janine Moraes/CB/D.A Press)
A Companhia apresentou novas propostas aos servidores nesta sexta-feira (24/5) (foto: Janine Moraes/CB/D.A Press)

Após 23 dias do início da greve dos metroviários, a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) apresentou, nesta sexta-feira (24/5), nova proposta para incentivar o retorno ao trabalho dos 1.274 funcionários que decidiram pela paralisação das atividades.

 

Entre as ofertas, estão os reajustes de 4,67% no benefício de ressarcimento de auxílio saúde, 4,67% no auxílio alimentação e manutenção de alguns termos do Acordo Coletivo de Trabalho. 

 

A greve começou em 2 de maio, após assembleia com cerca 400 trabalhadores. Eles se reuniram para avaliar a proposta entregue pelo Metrô-DF, em 25 de abril. No termo, a companhia propôs manutenção e a integralidade do Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2019 e seus termos aditivos por mais um ano (1º de junho de 2019 a 1º de abril de 2020). 

 

Entre as reclamações, os funcionários destacaram que o Metrô-DF não estaria cumprindo cláusulas do acordo coletivo de trabalho vigente, bem como decisões e acordos judiciais e sentenças normativas com os metroviários. 

 

O Correio tentou contato com a assessoria do Sindicato dos MetroviárIos do DF (Sindmetrô-DF), mas ainda não obteve retorno.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade