Cidades

Metrô vai devolver desconto em salários caso greve seja suspensa

O sindicato dos metroviários ainda não se posicionou quanto a proposta. Uma nova reunião está marcada para segunda (10/6)

Bruna Lima
postado em 06/06/2019 21:30
Durante a greve, os trens funcionam em esquema especial
A Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) promete suspender os descontos nos salários dos funcionários grevistas e devolver os valores descontados sob a condição de suspensão do movimento até o fim das negociações. A sugestão foi feita pelo Tribunal Regional do Trabalho da 10; Região (TRT-10) e aguarda posicionamento do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários, de Veículos Leves sobre Trilhos e Pneus e também Urbanos Coletivos de Passageiros sobre Trilhos do Distrito Federal (SindMetrô/DF).

A reunião, na tarde desta quinta-feira (6/6), para tentar chegar a uma negociação entre as partes não gerou resultados e, por isso, a greve, que já dura 35 dias, continua. Após pressão por parte da categoria, o Metrô também declarou que entrará com o dissídio de greve, ação que solicita ao tribunal julgar se o movimento está ou não cumprindo as exigências legais. Em nota divulgada na última semana, o SindMetrô explicitou o desejo pelo dissídio, alegando que acredita "no poder, na competência e na autonomia inquestionáveis" do tribunal. Afirmou, ainda, que já entrou com uma medida judicial em defesa aos direitos dos trabalhadores até o julgamento da ação.
Uma nova reunião para tentar chegar a um acordo está marcada para a próxima segunda-feira (10/6), quando a categoria irá formalizar se aceita ou não a sugestão do TRT-10. "Sugerimos que viesse o representante do GDF, juntamente com o Metrô, para que a gente tenha uma sinalização de que realmente poderemos entrar a fundo nas nossas pautas de reivindicação. Tendo esses representantes, vamos suspender a greve para a negociação. Caso não haja acordo neste dia, deve-se entrar com o dissídio", explica a diretora de Comunicação do Sindmetrô, Renata Campos.
Entre as reivindicações da categoria estão a manutenção do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), pagamento dos salários retroativos com o reajuste de 8,4% e formalização da jornada de seis horas dos pilotos.

Em função da greve, o Metrô funciona em horário especial, enquanto durar o movimento. De segunda a sábado, os trens circulam das 5h30 às 23h30. Já no domingo, as estações estão abertas das 7h às 19h. Nos horários de pico ; das 6h às 8h45 e das 16h45 às 19h30 ; 18 trens estarão circulando. Nos demais horários a frota atendendo aos usuários cai para 4 ou 5 veículos. Já no domingo, apenas 3 trens funcionam.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação