Publicidade

Correio Braziliense

Câmara Legislativa cancela compra de carros para investir em saúde

A licitação orçada em quase R$ 500 mil foi revogada. Recursos serão destinados a compra de medicamentos


postado em 12/06/2019 20:12 / atualizado em 12/06/2019 20:12

Para se deslocar, parlamentares terão de usar carro próprio ou recursos da verba indenizatória(foto: Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press)
Para se deslocar, parlamentares terão de usar carro próprio ou recursos da verba indenizatória (foto: Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press)

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) decidiu cancelar a compra de carros para uso dos parlamentares, que estava orçada em quase R$ 500 mil. Todos os veículos seriam do tipo sedan médio. Por meio de emenda da mesa diretora, os recursos alocados para a aquisição serão destinados a medicamentos para o Hospital de Base.

 

Já os carros antigos que estão a serviço da mesa diretora serão leiloados. Segundo a CLDF, a arrecadação também será destinada à saúde. Com isso, os parlamentares terão de usar veículo próprio ou usar a verba indenizatória de cada deputado, como explicou o presidente da Câmara, Rafael Prudente (MDB). Em nota oficial, a casa afirmou que a medida visa atender aos anseios da população do DF. 

 

Os gastos geraram confusão e bate-boca no plenário da casa em março, quando a deputada Júlia Lucy (Novo) criticou a medida. Robério Negreiros (PSD) rebateu dizendo que política não se faz expondo os colegas e que ele não permitiria mentira. Na terça-feira (11/6), a deputada entrou com ação no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) contra a compra.

 

Ao Correio, Júlia Lucy se disse extremamente satisfeita com a revogação do pregão. “Meus colegas da mesa diretora não correm mais risco de responder a um processo por improbidade, até porque a compra está vetada na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) deste ano e a gente deixa de colocar dinheiro público em uma coisa injustificável”, ponderou. “A Câmara está começando a ficar atenta aos anseios da sociedade e isso mostra que o órgão está amadurecendo”, concluiu.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade