Publicidade

Correio Braziliense

Crime em apartamento no Cruzeiro Novo deixa uma mulher morta

A vítima era casada com o síndico, autor dos disparos. Ele teria a intenção de atingir dois ex-moradores, com quem tem antigas desavenças. Um deles ficou ferido em estado grave


postado em 13/06/2019 06:00 / atualizado em 13/06/2019 15:26

Disparos foram feitos dentro de um dos imóveis do Cruzeiro Novo: policiais militares prenderam o acusado quando ele tentava atingir outro homem(foto: Minervino Júnior/CB/DA.Press)
Disparos foram feitos dentro de um dos imóveis do Cruzeiro Novo: policiais militares prenderam o acusado quando ele tentava atingir outro homem (foto: Minervino Júnior/CB/DA.Press)
Uma discussão entre o síndico e dois ex-moradores de um prédio terminou com uma mulher e um homem mortos a tiros, em um apartamento da Quadra 1405 do Cruzeiro Novo, na noite desta quarta-feira (12/6). Francisca Náidde de Oliveira Queiroz, 57 anos, esposa do atirador, Juenil Bonfim de Queiroz, morreu na hora, e a segunda vítima, atingida por dois tiros, foi levada ao Hospital de Base em estado grave e também não sobreviveu.
 
Policiais militares prenderam Juenil, o síndico, em flagrante. Sargento da Aeronáutica, ele não teria a intenção de matar a companheira, e prestava depoimento na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) até o fechamento desta edição. No entanto, na manhã desta quinta-feira (13/6), a Polícia Civil informou que o crime é apurado como feminicídio

Ao Correio vizinhos disseram que o crime teria ocorrido devido a desavenças entre o síndico e ex-moradores identificados como Francisco de Assis, 42, e Marcelo Soares Brito, 40. Os dois não moravam mais no prédio, mas teriam ido visitar duas primas de Francisco que ocupam o antigo apartamento deles. Os três, além da mulher de Juenil, conversavam no térreo, mas o síndico pediu para que o grupo se dirigisse ao apartamento dele, no terceiro andar. 

Após uma discussão, vizinhos escutaram os disparos. Francisco levou um tiro na cabeça e um no tórax, e Francisca também foi baleada. Marcelo conseguiu fugir. O síndico correu atrás do segundo, mas foi detido por policiais em frente ao prédio, atrás do terminal rodoviário do Cruzeiro. Militares apreenderam com ele uma pistola calibre .380. 

Testemunhas

As duas primas de Francisco, que moram no prédio onde ocorreu o crime, relataram que ele e Marcelo foram à casa delas para buscar um computador. Quando estavam no térreo do edifício, durante a despedida, Juenil chegou armado. “Ele chegou mandando eles subirem para conversar, dizendo: ‘Vamos lá conversar, que  vou te mostrar quem é homem. Agora vamos resolver!’. Francisco, segundo as duas, respondeu: ‘Calma, seu Queiroz, o que foi?’”. Os homens e a mulher do síndico subiram. Em seguida, as primas telefonaram para a PM, pedindo socorro. O registro do flagrante aconteceu na 5ªDP. 

 

» Colaborou Jéssica Eufrásio

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade