Publicidade

Correio Braziliense

Vítima de feminicídio no Cruzeiro é velada pela família em capela fechada

Amigos e familiares de Francisca Bonfim de Queiroz, 57 anos, pediram privacidade à imprensa


postado em 14/06/2019 10:45 / atualizado em 14/06/2019 12:32

Francisca foi morta pelo marido dentro de casa, junto com o ex-vizinho, Francisco de Assis(foto: Arquivo Pessoal)
Francisca foi morta pelo marido dentro de casa, junto com o ex-vizinho, Francisco de Assis (foto: Arquivo Pessoal)
 
Em cerimônia fechada, restrita a familiares e amigos, Francisca Bonfim de Queiroz, 57 anos, foi velada, na manhã desta sexta-feira (14/6), no Cemitério Campo da Esperança, da Asa Sul. O velório ocorre com as portas da capela parcialmente fechadas. Atendendo a um pedido da sobrinha de Francisca, para que eles tivessem privacidade na despedida, a reportagem do Correio não registrou o momento. 

Enquanto a equipe esteve lá, foi possível constatar o clima de forte comoção entre os presentes. Francisca é a 15ª vítima de feminicídio no Distrito Federal. Ela foi assassinada na quarta-feira (12/6), na quadra 1405 do Cruzeiro Novo. O marido, o sargento da Aeronáutica reformado Juenil Bonfim de Queiroz, atirou nela e no ex-vizinho, Francisco de Assis, 42. O sargento teria cometido o crime por ciúmes, pois acreditava que Francisca teria um caso com Francisco. 

O crime foi filmado pelo marido de Francisco, Marcelo Soares Brito, 40. Ele testemunhou o assassinato e conseguiu escapar vivo porque saiu correndo do apartamento e porque uma equipe da Polícia Militar chegava para atender ao pedido de socorro de vizinhos. Juenil foi preso em flagrante e ficará na cadeia por tempo indeterminado.  

Entenda o caso 

Francisco de Assis e Marcelo Soares Brito são casados há cinco anos. Eles viveram no prédio onde aconteceu a tragédia por um período, mas se mudaram havia 10 meses. Na noite de quarta-feira, estiveram no imóvel, que hoje é ocupado pela prima de um deles, para buscar um computador. Quando se despediam no pilotis do prédio, o sargento Juenil Queiroz chegou com Francisca e, logo depois, desceu com uma arma exigindo que Francisco subisse para acertarem umas coisas. 
 
Marcelo não deixou o marido subir sozinho e foi atrás. Enquanto isso, a prima do casal ligou para a Polícia Militar pedindo socorro. Cerca de 10 minutos depois, após acusações de uma suposta relação extra-conjugal entre Francisca e Francisco, o coronel os assassinou na frente de Marcelo. Marcelo correu e foi seguido por Queiroz. Foi salvo pela equipe da PM que chegou e prendeu o assassino em flagrante. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade