Publicidade

Correio Braziliense

Portaria define regras de acesso aos prédios da Secretaria de Educação

Em 2019, dois casos de violência aconteceram dentro dos prédios do órgão: um feminicídio e uma tentativa de ataque ao secretário


postado em 14/06/2019 18:25 / atualizado em 14/06/2019 21:35

Normas valem para prédios da Secretaria de Educação e sedes das Coordenações Regionais de Ensino(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Normas valem para prédios da Secretaria de Educação e sedes das Coordenações Regionais de Ensino (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Uma portaria assinada pelo secretário de educação e divulgada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta sexta-feira (14/6) estabelece o novo controle de acesso aos prédios do órgão e sedes das Coordenações Regionais de Ensino. Com isso, o sistema de entrada passa a abranger a identificação e cadastro de visitantes, bem como o registro de entrada e saída, inspeção de segurança, uso de crachás, câmeras de segurança e cofres para guardar armas. Detectores de metal portáteis também poderão ser utilizados.
 
As novas medidas surgem 25 dias depois de uma servidora ter sido assassinada pelo ex-namorado dentro da Regional de Ensino do Plano Piloto. Débora Tereza foi a 13ª vítima de feminicídio. O assassino era policial civil e entrou armado no edifício. O artigo 6º da portaria nº 200/2019 veda o ingresso de pessoas armadas ou identificadas como passíveis de representar risco à integridade física de terceiros e instalações. Quem estiver usando capacete ou outro recurso que oculte a face também não poderá entrar.
 
Agentes de segurança em exercício na unidade, profissionais em escolta de valores e em postos bancários e policiais participando de eventos poderão portar armas. Quem não se enquadrar nas categorias deverá deixar o objeto no cofre disponibilizado. Aqueles que forem flagrados com armas de fogo, mesmo sem autorização, serão detidos.
 
Quem se recusar a seguir os novos procedimentos, não poderá acessar as dependências. Visitantes deverão informar, na recepção, o local exato onde querem ir e só poderão entrar mediante autorização do responsável pela unidade. A medida não se aplica àqueles cujo nome conste em lista para eventos, reuniões ou atividades previamente estabelecidas, nem para quem queira se dirigir a postos de atendimento ao público, como Ouvidoria ou Gestão de Pessoas.
 
Em março, um professor da Escola de Música foi preso depois de entrar armado com uma faca e uma besta (arma que dispara dardos) no prédio da Secretaria de Educação. Ele queria falar com o secretário, Rafael Parente, mas seguranças conseguiram detê-lo na antessala do gabinete, no 12º andar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade