Publicidade

Correio Braziliense

Mulheres dormem em frente ao Hmib e formam fila para conseguir colocar DIU

A Secretaria de Saúde anunciou o tratamento na semana passada e pacientes passaram a madrugada desta segunda-feira (17/6) em frente a unidade para conseguir atendimento


postado em 17/06/2019 10:20 / atualizado em 17/06/2019 19:19

Mulheres dormiram na fila para conseguir atendimento(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Mulheres dormiram na fila para conseguir atendimento (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Mulheres de todo o Distrito Federal e Entorno formam uma fila externa no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) para colocar o Dispositivo Intrauterino (DIU). A Secretaria de Saúde anunciou o tratamento na semana passada e pacientes passaram a madrugada desta segunda-feira (17/6) em frente a unidade para conseguir atendimento. Cerca de 450 mulheres já foram acolhidas.

Segundo a equipe de segurança da unidade de saúde, as pacientes chegam, preenchem uma ficha com o nome e depois passam por uma palestra. "Todas as mulheres que chegaram aqui no período da manhã serão atendidas. As demais devem aguardar atendimento no decorrer dos  próximos dias", explicou o funcionário.
 
A estudante de arquitetura e urbanismo Rayane Maria, 26 anos, chegou às 6h30 no Hmib. Para ela, o DIU é o contraceptivo ideal, pois não se acostuma com pílula devido o alto teor de hormônios. "Eu passo muito mal, me dá depressão. Por isso, vim aqui para tentar. Mesmo depois desse tempo todo vou desistir", lamentou.

Apesar dos problemas com o anticoncepcional via oral, a estudante ainda persiste. "Tenho que me prevenir né? É o jeito. Eu tomo um que tem menos hormônio, assim não passo tão mal."

A estudante de recursos humanos Amanda Mabily Lopes, 21, tem uma filha de 1 ano e, desde o nascimento da criança, usa anticoncepcional injetável. "Para mim é bom, mas o DIU é o melhor.  Cheguei aqui 7h e quero ficar até ser, pelo menos, atendida", destacou.
 
  

Sem preferência

Além da longa fila, muitas mulheres reclamam da falta de organização. A balconista Jéssica Soares, 20, saiu de Águas Lindas para tentar a primeira consulta. Na falta de com quem deixar a bebê de 1 ano e dois meses, teve levar a criança. “Infelizmente, não dão preferência para nós que estamos com crianças de colo, nem para grávidas. É algo muito cansativo, mais para minha filha do que para mim. A gente tem paciência e eles não entendem. Mas não quero sair enquanto não pegar minha senha”, disse.
 

Mulheres serão atendidas 

Em nota, a Secretaria de Saúde garantiu que todas as mulheres que procurarem a unidade na manhã desta segunda serão acolhidas e avaliadas. De acordo com a pasta, a iniciativa faz parte de uma ação pontual do hospital para orientar as mulheres sobre todos os métodos contraceptivos existentes.
 
A Secretaria de Saúde confirmou, ainda, que ao longo do ano, o Hmib tem planos de fazer outras ações como esta. "Se o número de mulheres aptas for maior que a quantidade disponível do contraceptivo no Hmib, o agendamento a estas pacientes para a colocação do DIU será feito na Unidade Básica de Saúde (UBS), que é a porta de entrada para orientação quanto a este e outros métodos contraceptivos."


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade