Publicidade

Correio Braziliense

Filho de ex-prefeito de Anápolis é preso por descumprir medida protetiva

Victor Augusto Junqueira do Amaral, 24 anos, é acusado de agredir a ex-namorada. O vídeo que mostra a jovem sendo agredida repercutiu nas redes sociais


postado em 17/06/2019 19:03 / atualizado em 17/06/2019 19:04

Agressor se entregou à polícia nesta segunda-feira(foto: Reprodução/Redes Sociais)
Agressor se entregou à polícia nesta segunda-feira (foto: Reprodução/Redes Sociais)

O piloto Victor Augusto Junqueira do Amaral, 24 anos, está preso, desde a manhã desta segunda-feira (17/6), na carceragem de Anápolis (GO) após cumprimento do mandado de prisão preventiva decretado pelo 4º Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Capital. Victor, filho do ex-prefeito de Anápolis Eurípedes Junqueira, teria desobedecido a medida protetiva em favor da ex-namorada, a advogada Luciana Sinzimbra, que, no fim de 2018, provou as agressões por meio de uma filmagem

Na decisão, a juíza Liliana Bittencourt justifica o mandado devido à violação, por parte do acusado, "da área de proibição de aproximação, mesmo após estar monitorado por tornozeleira eletrônica”. Em um mês, Victor violou a medida por 12 vezes, além de não ter carregado a bateria da tornozeleira eletrônica por outras duas vezes. 

De acordo com o delegado regional de Anápolis, Pedro Caires, a corporação tomou conhecimento do paradeiro de Victor por meio do próprio advogado do acusado, que entrou em contato com a polícia para negociar a apresentação. "Não houve interrogatório, apenas cumprimos o mandado, que foi expedido em Goiânia. Ele ficará no presídio de Anápolis, cabendo ao poder Judiciário pedir o recambiamento do preso para a comarca de origem", explica o delegado. 

Ao Correio, o advogado Regis Davidson Gonçalves, defesa de Victor, alegou que não houve intimação formal.  "Mesmo assim, pela repercussão do caso e por não ter intenção de se afugentar da polícia, Victor se apresentou espontaneamente", afirma. O advogado acredita que Victor não tinha a intenção de se reaproximar da vítima. "Ele não está fugindo da culpa e da responsabilidade, mas sustentamos que o descumprimento da medida tenha sido de forma involuntária. Como não foi ofertado o contraditório para que houvesse justificativa, solicitamos o relatório detalhado para que possamos nos manifestar."

Victor foi filmado agredindo Luciana no apartamento dela, em Goiânia, em dezembro do ano passado. No vídeo, que repercutiu nas redes sociais, o piloto senta em frente à companheira e dá um forte tapa no rosto dela, que cai na cama. Em seguida, ele dá socos, enquanto ela tenta se proteger e pede para que ele pare. Recentemente, a jovem procurou o poder Judiciário após ter recebido notificações da aproximação dele em um dispositivo eletrônico que monitora a tornozeleira eletrônica. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade