Publicidade

Correio Braziliense

Vaquinha arrecada mais de R$ 27 mil para idosa arrastada por carro de luxo

Marina Izidoro, 63 anos, conta com a solidariedade de pessoas de diversos lugares do país para se manter enquanto não pode voltar ao trabalho de diarista


postado em 18/06/2019 11:25

(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Enquanto se recupera física e psicologicamente após ser arrastada por 100 metros por um carro de luxo, Marina Izidoro de Moraes, 63 anos, tem contado com o apoio e solidariedade que chega por meio da internet. Depois que o caso ficou conhecido nacionalmente, pessoas de diversos lugares do país contribuem com dona Marna em uma vaquinha, organizada pelo portal Razões para Acreditar. Até as 13h desta terça-feira, (18/6), R$ 27.430,00 foram arrecadados. Saiba como contribuir aqui.

Marina trabalha como diarista e vende balões aos fins de semana para complementar a renda. Com o acidente, a idosa se machucou, perdeu boa parte do que tinha conseguido ganhar com as vendas na festa junina e ainda terá a orçamento afetado pelos próximos dias, por não ter condições de fazer o serviço de doméstica.  

"Eu perdi muito com essa situação. Mas, dos males, é o menor. Eu estou viva. O dinheiro que sobrou das vendas do sábado (15) eu vou dar ao dono dos balões, que também ficou chateado com a situação e pelo prejuízo. Mas as diárias que eu ia fazer essa semana, vou perder, pois não consigo trabalhar. É assim que eu pago meu aluguel e contribuo para o INSS, pois não sou aposentada ainda", lamenta Marina. 

Ela contou ao Correio que o dono da casa onde mora deixou que o aluguel seja pago mais tarde e muitas mensagens oferecendo ajuda já chegaram. "É muito bom ter esse acolhimento porque não podia ficar sem trabalhar”, comemorou Marina.

Relembre o caso 

Marina estava trabalhando na porta de uma escola particular de Taguatinga Sul no domingo (16/6), desde às 11h, vendendo balões. Por volta de 19h30, um casal em uma Mercedes branca, avaliada em R$ 220 mil. parou na sua frente e pediu desconto nos produtos. Já na negociação eles ficaram irritados, mas pediram para levar três, dois com temas de menino e um de menina.

Ao abaixar para pegar os balões, a mulher que estava no passageiro puxou a corda, que estava amarrada na mão da vendedora, e fechou o vidro. O motorista arrancou com o carro, arrastando dona Marina por aproximadamente 100 metros. "Foi horrível, comecei a gritar por socorro. Vi a morte de perto”, lembrou a senhora.

O homem que dirigia o carro se apresentou à Polícia nesta terça-feira (18/6). “Agora eu só quero justiça, eles têm que pagar pelo que fizeram. Porque eu fiquei toda machucada, quase não estou mais aqui para contar história, e vou ficar sem trabalhar, sem poder pagar minhas contas”, lamentou Marina.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade