Publicidade

Correio Braziliense

Auditor do TCU e um servidor do Senado são investigados por tráfico

Segundo a polícia, o funcionário do TCU cultivava e potencializa, em casa, os efeitos da maconha. Ele vendia a droga em parceria com um servidor do Senado


postado em 19/06/2019 10:54 / atualizado em 19/06/2019 14:46

Um auditor do Tribunal de Contas da União (TCU), 32 anos, foi preso acusado de traficar drogas no Distrito Federal. Agora, a Coordenação de Repressão às Drogas (Cord) da Polícia Civil procura por um servidor do Senado Federal, já identificado, e que é suspeito do mesmo crime. A dupla trabalha com uma droga potencializada que chegava a valer R$ 20 mil o quilo.

O servidor publico cultivava e pontencializava as drogas na própria casa, localizada no Altiplano Leste, no Lago Sul. "A residência era uma espécie de laboratório onde ele pontencializava o THC dela, é o que a gente chama de gourmet", detalhou o coordenador da Cord, Rogério Henrique Rezende. O delegado acrescenta que uma das características dessa droga é que ela não tem cheiro, o que possibilita a venda e consumo em lugares fechados. 

Na casa, de alto padrão, foram encontrados 30 pés de maconha e três quilos da droga potencializada. As investigações apontam que o produto era comercializado nas imediações dos predios públicos. "A princípio eles passavam para colegas do ambiente de trabalho e traficava nas imediações. Pelo que apuramos, era um esquema fechado entre os dois", afirma.

O auditor do TCU foi preso em flagrante e vai responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico, uma pena de cinco a 15 de reclusão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade