Publicidade

Correio Braziliense

Taxa de desemprego cai no DF, mas 331 mil pessoas continuam sem trabalho

A pesquisa revela que, em maio, foram 11 mil cidadãos a mais fora do mercado de trabalho , se comparado com o mesmo período de 2018


postado em 25/06/2019 15:31 / atualizado em 25/06/2019 15:31

Os dados foram divulgados nesta terça-feira, na sede da Codeplan (foto: Bruna Lima )
Os dados foram divulgados nesta terça-feira, na sede da Codeplan (foto: Bruna Lima )

Mais de 331 mil pessoas estão desempregadas no Distrito Federal, o que representa um aumento de 11 mil cidadãos pertencentes à População Economicamente Ativa (PEA) sem trabalho formal, se comparado ao mesmo período do ano passado. Apesar do crescimento em números absolutos, a taxa de desemprego permaneceu praticamente estável, com uma variação de 19,5% para 19,4%. Isso porque 60 mil novas pessoas passaram a integrar a PEA até maio deste ano, quantidade superior ao número de postos de trabalho abertos.


Os dados, divulgados nesta terça-feira (25/6), fazem parte da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), desenvolvida pela Secretaria do Trabalho em conjunto com a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Entre as análises, também é feito um comparativo entre abril e maio de 2019. Neste período, a variação é mais significativa: a taxa de desemprego total diminuiu de 19,9% para 19,4%, o que significa que mais 6 mil pessoas foram contratadas em maio. 

Entre os destaques observados na variação anual, está o aumento de funcionários formais. No setor privado, o assalariamento com carteira de trabalho assinada cresceu 3,4%, beneficiando 19 mil cidadãos. "Isso mostra uma retomada de confiança no ambiente por parte do setor empresarial e garante os direitos trabalhistas", afirma o presidente da Codeplan, Jean Lima. 

Apesar da melhoria no cenário, a subsecretária do trabalho, Tereza de Lamare, frisa que é necessário um empenho governamental para reduzir mais as taxas. "O GDF saiu um pouco da curva e isso é muito bom, mas ainda vemos um desemprego grande e isso preocupa, porque ainda não conseguimos reduzir mais esses números. Dentro de uma análise maior da economia a gente ainda vive um período de recessão. É necessário ter um esforço governamental para estimular os empresários a ter confiança para investir. É nisso que trabalhamos hoje."


Mutirão do emprego 


Com o objetivo de levar ofertas de emprego e oferecer serviços nessa área ao cidadão, a Secretaria do Trabalho irá promover, nesta quarta e quinta-feiras (26 e 27/6), o Arraial do Trabalho. Em tendas e carretas vão ser prestados atendimentos como emissão de carteira de trabalho, orientação para seguro desemprego, intermediação de contratações, ofertas de estágio, credenciamento de microempresas e palestras sobre orientação profissional e direito do trabalhador. 

Além disso, haverá shows musicais, quadrilhas juninas, feira de artesanato, exposições e serviços de saúde, como aferição de pressão e glicose. O evento ocorrerá na praça pública entre as Quadras 6/5, no Setor Comercial Sul, das 9h às 17h. 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade