Publicidade

Correio Braziliense

Polícia Civil suspeita que acusado de abusos no Guará tenha fugido do DF

Os investigadores solicitaram que o nome do suspeito seja incluído no cadastro nacional de foragidos e aguarda decisão da Justiça


postado em 10/07/2019 10:25 / atualizado em 10/07/2019 10:25

José Antônio Silva, 47 anos, é suspeito de abusar de mais de 20 crianças no Guará(foto: PCDF/Divulgação)
José Antônio Silva, 47 anos, é suspeito de abusar de mais de 20 crianças no Guará (foto: PCDF/Divulgação)

Agentes da 4ª Delegacia de Polícia (Guará) suspeitam que o catequista e instrutor de futebol José Antônio Silva, 47 anos, tenha fugido do Distrito Federal. O homem é procurado há uma semana, suspeito de cometer abusos sexuais contra pelo menos 26 crianças no Guará. Os investigadores solicitaram que o nome do suspeito seja incluído no cadastro nacional de foragidos e aguardam decisão da Justiça.  

De acordo com o delegado à frente do caso, Douglas Fernandes, José Antônio tem familiares no Rio Grande do Norte e no Maranhão. Ele não descarta que o acusado tenha fugido para esses estados. Em entrevista ao Correio, o investigador ressaltou que José Antônio estaria sendo ajudado por parentes. "Após a denúncia, ele se escondeu na casa de uma irmã, no Riacho Fundo 2, mas quando chegamos ao endereço, ele havia fugido", explicou.  

A primeira pessoa a procurar os investigadores foi um sobrinho de José Antônio, de 30 anos. Ele teria sido abusado durante a infância e decidiu denunciar o tio após notar a aproximação dele com o filho recém-nascido. "A família está dividida. Muitos não acreditam nos casos de abusos, porém, a maioria das vítimas são parentes do suspeito", ressaltou Douglas.  

Até o momento, os investigadores conseguiram identificar 13 vítimas, que prestaram depoimento na delegacia. Os policiais trabalham para localizar outras seis crianças abusadas, que seriam da escolinha de futebol onde José Antônio ministrava aulas. O depoimento de outras sete vítimas está sendo avaliado. Os investigadores tornaram o caso público na segunda-feira (8/7) e contam com a ajuda da população para encontrar o suspeito. 

Ao Correio, conhecidos e pais de vítimas do catequista contaram como ele se aproximava das crianças. Segundo os relatos, por ser religioso, ele ganhou confiança da comunidade e começou a cometer os abusos após as aulas de futebol. Ele levava os meninos para a própria casa, enquanto a esposa trabalhava como professora.  

Denuncie 

Quem tiver informações sobre o paradeiro de José Antônio Silva pode entrar em contato com a Polícia Civil pelo número de telefone 197. Além disso, as informações podem ser enviadas ao site da corporação (www.pcdf.gov.br) ou pelo e-mail denuncia197@pcdf.gov.br. As denúncias são sigilosas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade