Publicidade

Correio Braziliense

Polícia Ambiental captura cobra-cipó em jardim de casa, no Lago Norte

O bicho não apresentava ferimentos e foi liberado na natureza. Essa foi a 406ª serpente capturada por equipes da corporação


postado em 17/07/2019 22:32 / atualizado em 17/07/2019 22:40

Animal, considerado inofensivo, tinha cerca de 60cm(foto: BPMA/Divulgação)
Animal, considerado inofensivo, tinha cerca de 60cm (foto: BPMA/Divulgação)
Militares da Polícia Ambiental resgataram uma cobra-cipó em uma casa no Lago Norte, nesta quarta-feira (17/7). O animal foi encontrado no jardim do imóvel e não estava ferido nem apresentava sinais de maus-tratos. Depois de ser recolhida pela equipe, a serpente, de aproximadamente 60 centímetros, foi solta em uma região de cerrado, longe das residências.

O Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) foi acionado por volta das 16h, pelo jardineiro da casa, que conseguiu conter o animal. Essa foi a 406ª cobra capturada por equipes da corporação. De acordo com o major José Gabriel de Souza Júnior, elas têm aparecido com mais frequência nas regiões dos lagos Norte e Sul e na área central do Plano Piloto. 

"Isso acontece porque a parte arbórea está bem preservada, e também há o Lago Paranoá. As áreas naturais têm sofrido com a ação do homem, por meio de edificações, e há pressão imobiliária na área central de Brasília, que toma locais naturais do DF. Por isso, muitos animais saem dos habitats deles e são encontrados em residências", explica o comandante do BPMA.

Souza Júnior acrescenta que, caso alguém encontre algum animal silvestre em casa, não deve tentar fazer a captura. "Muita gente acha que é inofensivo. Um exemplo disso é a cobra-coral. A pessoa pode achar que se trata de uma falsa-coral, que não tem veneno, e encontram uma verdadeira, que é extremamente perigosa", ressalta o major.

Se o bicho estiver em um ambiente fechado, a recomendação é tirar todas as pessoas do local e acionar o BPMA. Para aqueles perigosos encontrados em áreas abertas do imóvel, o ideal é verificar onde ele está escondido — se for o caso — e também contatar a equipe da Polícia Ambiental. "O batalhão vai com o equipamento de proteção individual necessário e tem a técnica adequada para preservar tanto o animal quanto os seres humanos", finaliza o oficial.

Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA): 993-515-736 ou 190.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade