Publicidade

Correio Braziliense

Encontro de violeiros celebra a música caipira até domingo, em Planaltina

De hoje a domingo, o Encontro de Violeiros e Violeiras, em Planaltina, celebra o sertanejo de raiz, lançado pela primeira vez em disco em 1929. Programação prevê seminários e apresentações, entre elas, a de Zé Mulato & Cassiano


postado em 19/07/2019 06:00 / atualizado em 18/07/2019 23:21

A dupla Zé Mulato & Cassiano ficará responsável pela abertura do evento, em Planaltina: prestígio entre os violeiros do Brasil (foto: Luiz Fernandes/Divulgação )
A dupla Zé Mulato & Cassiano ficará responsável pela abertura do evento, em Planaltina: prestígio entre os violeiros do Brasil (foto: Luiz Fernandes/Divulgação )


Escritor, folclorista e ativista cultural, o paulista Cornélio Pires produziu, em 1929, o primeiro disco de música caipira. Era um 78 rotações no qual foi gravada a moda de viola Jorginho do sertão, pela dupla Caçula & Mariano. Surgia naquele momento o gênero que atualmente é chamado de sertanejo de raiz. 

Os 90 anos dessa manifestação da cultura popular brasileira serão celebrados de hoje a domingo, no Encontro de Violeiros e Violeiras, que ocupará o Complexo Cultural de Planaltina. A programação inclui shows, lançamento de discos, seminário, oficinas, bailões e exposição, com a participação de 30 violeiros do Distrito Federal e de diversos estados. A produção é do Clube do Violeiro Caipira. 

Ao longo de 30 anos de existência, o encontro recebeu nomes de destaque do segmento caipira, como Inezita Barroso, Pena Branca & Xavantinho, Liu e Léo, Renato Andrade e Almir Sater. Nesta edição, os destaques são Roberto Corrêa, Pereira da Viola e As Galvão, além do pesquisador, folclorista, escritor e compositor Bariani Ortêncio, participante do seminário sobre os 90 anos da música caipira. 

Coordenador geral do encontro, Volmi Batista, presidente emérito do Clube do Violeiro Caipira, vê no evento um motivo para lembrar da data que está sendo celebrada em “um espaço próprio para se refletir sobre o futuro, a preservação e a valorização desta relevante e significativa expressão artística brasileira, no momento em que há ausência de política clara voltada para a cultura como um todo”.

Um dos nomes mais reverenciados do universo da viola caipira, o compositor, violeiro e escritor Roberto Corrêa, uma das atrações de amanhã, lembra: “O instrumento chegou à região caipira do Brasil no período colonial, levada pelos participantes das expedições denominadas Entradas e Bandeiras. Inicialmente, chegou ao interior de São Paulo e, depois, aos estados de Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e Paraná”

No entendimento de Corrêa, a música caipira reflete a identidade dessa grande região. “Há a música caipira tradicional ouvida em manifestações da cultura popular, como Folia de Reis, Folia do Divino e dança da catira; a cantada pelas duplas ligadas a esse sentimento; e a contemporânea, da qual sou um dos intérpretes”, explica. “Celebrar os 90 anos de surgimento da música caipira faz todo o sentido. Até porque ela é pouco reconhecida, embora seja a base da música sertaneja que se ouve hoje em dia. Temos de manter viva as nossas referências”, reforça.

As irmãs Meire e Marilene formam As Galvão: sete décadas de carreira e mil gravações (foto: Arquivo Pessoal )
As irmãs Meire e Marilene formam As Galvão: sete décadas de carreira e mil gravações (foto: Arquivo Pessoal )


Autenticidade

Considerada uma das maiores representantes de segmento musical, a dupla mineiro-brasiliense Zé Mulato & Cassiano abre a programação do encontro no show em que faz o lançamento do DVD, gravado com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional. Para Zé Mulato, a música caipira é um estilo sólido, verdadeiro, que tem história. “Muitos, como Carreirinho, Vieira & Vieirinha, Pedro Bento e Zé da Estrada, Pena branca & Xavantinho lutaram pelo nosso ideal. Cabe a nós manter essa luta para que a moda de viola se mantenha firme e forte”, defende.

Pereira da Viola enxerga no Encontro de Violeiros e Violeiras do Distrito Federal algo importante para a valorização da música caipira, que é o melhor retrato da identidade do povo brasileiro. “É um gênero que se mantém nos rincões do país por representar a nossa cultura popular autêntica”, ressalta instrumentista mineiro que se apresenta fechando a programação no domingo. “Sou de uma geração que utiliza a viola tendo como referência a música caipira, mesmo tocando outros estilos”.

Duo de maior prestígio do universo sertanejo, As Galvão, formado pelas irmãs Meire e Marilene, com mais de 80 anos, continua a encantar a quem assiste aos seus shows. Com cerca de mil músicas gravadas ao longo de sete décadas de carreira, elas cantaram em todo o Brasil e também em Portugal, na Suíça, no Canadá e Japão. A apresentação delas no Encontro de Violeiros e Violeiras é amanhã (veja Programe-se).

Roberto Corrêa, um dos nomes mais respeitados da viola caipira, se apresenta amanhã (foto: Ricardo Labastier/Divulgação )
Roberto Corrêa, um dos nomes mais respeitados da viola caipira, se apresenta amanhã (foto: Ricardo Labastier/Divulgação )


"Muitos, como Carreirinho, Vieira & Vieirinha, Pedro Bento e Zé da Estrada, Pena branca & Xavantinho lutaram pelo nosso ideal. Cabe a nós manter essa luta para que a moda de viola se mantenha firme e forte"
Zé Mulato, da dupla com Cassiano

Programe-se

Encontro de Violeiros e Violeiras do DF
» De hoje a domingo, no Complexo Cultural de Planaltina (próximo à rodoviária e em frente ao BRB) — Setor administrativo
» Entrada franca
» Informações: Clube do Violeiro Caipira (61) 3301-5888 e 3301-1267

Hoje

Anfiteatro

Às 20h — Abertura com Zé Mulato & Cassiano — Lançamento do DVD gravado, ao vivo, com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro.
» Vanderley e Valtecy
» Volmi Batista

Palco externo
» Irmãs Freitas (GO)
» Bailão: Flávio Brasil (DF)

Amanhã

Anfiteatro

Às 9h — Abertura do seminário Música caipira 90 anos rumo aos 100
» Atração musical: Gabi Viola (DF)

Às 14h — Segunda parte do seminário Música caipira 90 anos rumo aos 100
» Atração musical: Claudinho da Viola — Lançamento do CD Viola em serenata

Às 19h — Roberto Corrêa (DF)
» Rener & Cabral
» Moisés Mozer & Luiz Borges
» Macedo e Mariano
» As Galvão (SP)

Palco externo
» Bailão: Trio Estrela de Ouro (DF)

Domingo

Anfiteatro

Das 9h às 12h — Oficina de viola com o professor Onício Rosa (Dyego Violeiro)
Às 16h — Apresentação dos alunos do Núcleo de Ensinamento da Viola de Planaltina
» Juliana Andrade (SP)
» Idelbrando e Barcellus
» Ânderes e Fernandes
» Dyego e Gustavo
» Pereira da Viola (MG)

Palco externo
» Bailão: André e Andrade (GO)

Atividades diárias
» Exposição 90 Anos da Música Caipira, com instrumentos musicais e objetos históricos.

Espaço interativo
» Música e literatura
» Praça de alimentação

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade