Publicidade

Correio Braziliense

Asa Norte recebe feira de adoção de bichos da Zoonoses neste sábado

Evento organizado por defensores dos animais e governo será na manhã deste sábado (20/7), na Asa Norte. Interessados devem ter mais de 21 anos, levar documento e comprovante de residência e assinar um termo de posse responsável


postado em 20/07/2019 06:00 / atualizado em 20/07/2019 08:30

A aposentada Tereza Batista mantém 11 cachorros e 13 gatos adotados em casa, no Riacho Fundo(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
A aposentada Tereza Batista mantém 11 cachorros e 13 gatos adotados em casa, no Riacho Fundo (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Está pensando em adotar um gato ou cachorro? Em parceria com a Atevi, a Vigilância Ambiental de Zoonoses, promove este sábado (20/7) uma feira de adoção de animais, a partir das 9h. Os bichinhos estarão disponíveis no estacionamento do órgão, ao lado do Hospital da Criança, na Asa Norte.

Para adotar, é preciso ter mais de 21 anos, levar documento de identificação e comprovante de endereço, além de assinar um termo de posse responsável. Os animais não têm raça definida e estão com a vacinação antirrábica atualizada.

A Zoonoses recebe animais com doenças que podem ser transmitidas a humanos, como a raiva. Apesar de o local oferecer os cuidados necessários, não é o ambiente adequado para a criação de um pet. Assim, a partir de parcerias com associações e ONGs, o órgão consegue realizar as doações. “Essas parcerias já são uma demanda. Essas entidades não têm o porquê ficar com esses animais e fazem esses eventos. O nosso objetivo é que eles sejam frequentes. Aqui não é um bom lugar para eles ficarem”, ressaltou Jadir Costa, gerente de Vigilância Ambiental da Zoonoses.

Além da feira, quem tem interesse em acolher os cães e gatos da Zoonoses deve comparecer na sede do órgão, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, ter mais de 18 anos, apresentar documento de identidade com foto, comprovante de residência e assinar um termo de compromisso.

Para a aposentada Tereza Batista, 62, os 11 cachorros e 13 gatos adotados são os melhores companheiros. No lote onde mora, no Riacho Fundo, com um sobrinho e a mãe, ela destina uma parte à bicharada, que começou a pegar na rua há quatro anos. “Quando me dei conta, já eram 11 cachorros e vários gatos. Muita gente reclama da minha decisão, mas sou sozinha, eles que sempre estão comigo e estarão até quando Deus permitir”, ressalta.

“Não fomos nós que a escolhemos. Ela nos escolheu”, diz a autônoma Neide Nascimento, 51 anos, sobre a cadela Sasha, adotada há um ano. Ela já tinha outros três cães em casa. Adotou Sasha logo após quase atropelá-la. Ao seguir o caminho de casa, a mulher observou que estava sendo seguida pela cadela e passou a cuidá-la do lado de fora do condomínio onde morava. Como nunca foi embora, a família decidiu resgatar o bichinho.

A jornalista Marcela de Oliveira, 25, tem apego por animais desde a infância. Na juventude, passou a sentir vontade de ajudar porque sempre viu muitos abandonados. Desde que começou o trabalho social, junto ao Abrigo Fauna e Flora, adotou seis cachorros. Hoje, ela tem a Cora, uma vira-lata de seis anos. “Amo fazer isso, é um mix de emoções, mas ainda precisamos de muito apoio. E quanto mais gente se conscientizar, melhor”, ressalta.

Trabalho voluntário


A Atevi (Amor aos animais, temperança, emoção ao próximo, vida respeitada e integridade animal) é um grupo composto por pessoas que amam e protegem os animais. Eles atuam de forma independente e buscam unir colaboradores para beneficiar os mais interessados, os bichinhos de estimação. O trabalho é feito por meio de doações.

Feira de adoção 

Este sábado (20/7)

» Gerência de Vigilância Ambiental de Zoonones (SAIN Lote 4, ao lado do Hospital da Criança)

9h às 13h

» Entrada gratuita

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade