Publicidade

Correio Braziliense

Polícia suspeita que catequista acusado de abusos possa estar disfarçado

Nesta quinta-feira (25/7), os investigadores divulgaram imagens de possíveis disfarces que José possa estar usando


postado em 25/07/2019 14:05 / atualizado em 25/07/2019 14:25

José Antônio Silva, 47 anos, está foragido desde 3 de julho(foto: PCDF/Divulgação)
José Antônio Silva, 47 anos, está foragido desde 3 de julho (foto: PCDF/Divulgação)
Agentes da 4ª Delegacia de Polícia (Guará) continuam à procura do catequista e professor de futebol José Antônio Silva, 47 anos. Ele está foragido desde 3 de julho, acusado de abusar de ao menos 17 crianças no Guará. Os investigadores trabalham com a hipótese que o suspeito tenha deixado o Distrito Federal. Nesta quinta-feira (25/7), a corporação divulgou imagens de possíveis disfarces que José possa estar usando.  
 
Ao menos 17 pessoas denunciaram José Antônio(foto: PCDF/Divulgação)
Ao menos 17 pessoas denunciaram José Antônio (foto: PCDF/Divulgação)
O Laboratório de Representação Facial Humana do Instituto de Identificação da PCDF usou uma fotografia do suspeito para elaborar as projeções. Os agentes sugerem diversos discares que José possa estar usando, como barba, óculos, boné ou peruca.  
 
Um sobrinho de José a Polícia Civil em maio, para denunciá-lo por abuso sexual. O homem de 30 anos contou ter sido vítima aos 5. Disse ter decidido registar ocorrência por ter um filho da mesma idade e temer que o tio investisse contra ele.  
 
O homem encorajou outros parentes a registrar denúncia. Eles relataram a mesma história: José Antônio os violentou no quarto dos pais dele, no Guará; à época, as vítimas tinham entre 4 e 10 anos. 
 
O suspeito pode estar usando boné, óculos, barba ou peruca(foto: PCDF/Divulgação)
O suspeito pode estar usando boné, óculos, barba ou peruca (foto: PCDF/Divulgação)
A maioria das vítimas que procurou a polícia são parentes de José, que, hoje, são adultos. No entanto, os investigadores não descartam a possibilidade de que crianças da catequese e da escolinha de futebol possam ter sido vítimas.  

Denuncie  

Quem tiver informações sobre o paradeiro de José pode entrar em contato com a Polícia Civil pelo número de telefone 197. Além disso, as informações podem ser repassadas pelo site da corporação, www.pcdf.df.gov.br ou pelo e-mail denuncia197@pcdf.gov.br. As informações são sigilosas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade