Publicidade

Correio Braziliense

Liberado após suspeita de violência doméstica, jovem é preso por roubo

Na delegacia, vítima de agressão e ameaça optou por não prestar queixa, mas pediu medidas protetivas. Em seguida, suspeito acabou detido, na Delegacia da Criança e do Adolescente, por crime praticado no ano passado


postado em 13/08/2019 20:27 / atualizado em 13/08/2019 21:31

(foto: Cristiano Gomes/CB/D.A Press)
(foto: Cristiano Gomes/CB/D.A Press)
Um jovem de 18 anos foi encaminhado, nesta terça-feira (13/8), à 20ª Delegacia de Polícia (Gama), suspeito de violar a Lei Maria da Penha, agredir verbalmente e de impedir a ex-companheira de sair de casa. No entanto, na unidade policial, a vítima — uma adolescente de 16 anos — optou por não depor contra o jovem. Ainda assim, ela entrou com um pedido de medidas protetivas. O suspeito foi encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde cumpriu-se um mandado de busca e apreensão aberto contra ele por um roubo praticado no ano passado.

O caso de violência doméstica aconteceu por volta das 11h de ontem, na QR 203 de Santa Maria. Recentemente, a vítima havia terminado um relacionamento de cerca de cinco anos com o suspeito e, há duas semanas, mudou-se com o filho de 1 mês do casal para a casa da mãe dela. Ontem, ao voltar à residência do ex-companheiro para buscar objetos pessoais, a adolescente teria sido impedida de deixar o local. Ao presenciar a cena, a mãe do rapaz, também moradora do imóvel, acionou a Polícia Militar.

O suspeito teria agarrado a adolescente pelo braço e dito que a mataria caso saísse. “A adolescente se mudou para a casa da mãe — que mora na mesma quadra, mas em um conjunto diferente — porque disse que o relacionamento não estava dando certo e que havia muitas brigas entre o casal”, detalhou o sargento Marcos Vinícius da Silva, do 26º Batalhão de Polícia Militar.

O casal e a mãe do jovem dividiam um barraco, no mesmo lote que outras duas casas. No momento da discussão entre o casal, uma irmã da vítima também estava no local. No entanto, apenas o casal foi encaminhado para a 20ª DP. Mesmo que tenha optado por não prestar queixa e que tenha dito que o suspeito não a agrediu, a ocorrência permanece registrada como violação à Lei Maria da Penha e crime de injúria. A vítima tem até seis meses para depor, caso mude de ideia.

A jovem, segundo a PMDF, não trabalha ou estuda. Já o adolescente afirmou à polícia que trabalhava como pizzaiolo em Santa Maria. De acordo com a Polícia Civil, ele não tinha passagens por crimes além dos dois verificados. O mandado de busca e apreensão em aberto equivale a um mandado de prisão, por isso, o jovem era considerado foragido. O prazo de cumprimento terminava em 2020. O suspeito segue detido na DCA e será apresentado à Vara da Infância e da Juventude hoje. Os processos permanecem sob segredo de justiça, uma vez que envolvem pessoas com menos de 18 anos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade