Publicidade

Correio Braziliense

Amigos arrecadam R$ 41 mil para traslado de corpo de jornalista para Angola

Valor superou em R$ 10 mil a quantia esperada. Excedente será transferido para a família de Luís Felgueira, que mora em Luanda, capital do país africano


postado em 15/08/2019 16:16 / atualizado em 15/08/2019 16:54

Luís Felgueira morreu atropelado, na segunda-feira (12/8), enquanto voltava do trabalho de bicicleta(foto: Facebook/Reprodução)
Luís Felgueira morreu atropelado, na segunda-feira (12/8), enquanto voltava do trabalho de bicicleta (foto: Facebook/Reprodução)
Parentes e amigos do jornalista Luís Felgueira José — morto na segunda-feira (12/8) vítima de um atropelamento em Vitória (ES) — conseguiram arrecadar a quantia necessária para transportar o corpo do jovem angolano para o país de origem dele. Na data em que o ex-estudante da Universidade de Brasília (UnB) sofreu o acidente, o grupo deu início a uma vaquinha para arcar com os custos do traslado. Menos de dois dias depois, o valor obtido alcançou R$ 41 mil, R$ 10 mil a mais do que o esperado.

Com o auxílio do consulado do país, os parentes de Luís darão continuidade aos trâmites necessários para levar o corpo do jovem para Angola. Ele veio para Brasília, em 2013, para estudar economia na Universidade de Brasília (UnB). No entanto, ao descobrir que o sonho da mãe era ser jornalista, optou por mudar para o curso de comunicação social.

Na segunda-feira (19/8), o corpo do jornalista sairá de Vitória para o Rio de Janeiro, onde ficará até quinta-feira (22/8), devido aos processos necessários para liberação. Nessa data, ele será enviado de avião para a capital Luanda, onde deve chegar na sexta-feira (23/8). A previsão é de que o jovem seja enterrado no dia seguinte.

Noiva de Luís desde dezembro, a bacharel em direito Fernanda Samora, 27 anos, acompanhará o corpo do companheiro no mesmo voo e agradece pelo auxílio recebido. “O consulado (Geral da República de Angola) também colaborou com a arrecadação. Isso ajudou muito. Além disso, eles mandaram um representante para cá (Vitória) e têm me dado muito suporte desde então. Com o valor excedente, conseguiremos pagar todas as despesas e eu poderei acompanhar o corpo do Luís e entregá-lo para a mãe dele. Esse era meu desejo desde o início. Ela me espera lá para me dar um abraço”, detalhou a jovem.

Repasses para a família

Mensagem nas mídias sociais, na noite de quarta-feira (14/8), agradece por contribuições(foto: Facebook/Reprodução)
Mensagem nas mídias sociais, na noite de quarta-feira (14/8), agradece por contribuições (foto: Facebook/Reprodução)
Fernanda contou que ela e Luís estavam com casamento previsto para outubro. No dia do acidente, pouco antes de saber da notícia, ela havia recebido uma ligação de uma atendente do cartório perguntando se poderia marcar a data da cerimônia para o sábado (17/8). No entanto, os dois haviam combinado que a união ocorreria em outubro. Poucos minutos depois, ela soube da morte do noivo. Na tarde desta quinta-feira (15/8), Fernanda esteve no cartório, mas para receber a certidão de óbito do companheiro. 

A jovem destaca que contou com o apoio de muita gente que conhecia Luís, além da funerária, que permitiu que pessoas mais próximas tivessem um momento para se despedir do jornalista. “Felizmente, fui muito bem assessorada por amigos, familiares. Conseguiremos fazer tudo da melhor maneira possível, com a maior transparência possível, em respeito a todo mundo que colaborou. A mobilização foi muito grande e muita gente acreditou comigo. Não faço mais do que minha obrigação de passar (as informações sobre os custos). As pessoas se dispuseram a ajudar e merecem saber”, destacou Fernanda.

Assim que a meta foi superada, amigos e parentes do jornalista passaram a pedir, em postagens na internet, para que as doações cessassem, tanto para as contas bancárias divulgadas, quanto por meio do aplicativo PicPay e do site Vakinha.com.br. Ainda assim, caso continuem arrecadando colaborações financeiras, o montante extra será transferido para os parentes do jornalista, que moram em Luanda. "Vamos repassar qualquer valor remanescente para a família dele como forma de ajudar. Eles contavam muito com o Luís. Ele era uma esperança muito grande para eles", finalizou a jovem.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade