Publicidade

Correio Braziliense

Chileno foragido da Interpol é preso por furtar casas no Lago Norte e Sul

Ele agia com outros dois homens, também capturados nesta sexta-feira (16/8). Chileno era considerado foragido pela Interpol, pois tinha um mandado de prisão expedido pelo STF por homicídio


postado em 16/08/2019 18:00 / atualizado em 16/08/2019 18:04

 

Chileno utilizava duas identidades falsas(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Chileno utilizava duas identidades falsas (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Três integrantes de uma associação criminosa especializada em furtar casas do Lago Norte e Sul foram presos pela Polícia Civil. Um deles é um chileno de 27 anos que estava escondido em Águas Lindas de Goiás, cidade do Entorno do Distrito Federal, a aproximadamente 55 quilômetros de Brasília. Ele era considerado foragido pela Interpol, pois tinha um mandado de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por homicídio cometido no país de origem. Para escapar da polícia, ele usava ao menos duas identidades falsas.

 

Os outros dois comparsas foram capturados também nesta sexta-feira (16/8). Um eles tinha fugido para a Bahia e o outro foi localizado na Feira Permanente de Ceilândia. Segundo a Polícia Civil,  o grupo cometeu mais de 10 furtos em 2018. Eles entravam nas casas quando não havia morador e fugiam com os pertences que conseguiam levar.

 

Em novembro, o trio chegou a ser preso por policiais militares, mas acabou liberado. Na ocasião, investigadores não conseguiram comprovar a identidade do chileno. Ele não tem registro brasileiro. Os outros dois foram soltos, porque havia apenas a denúncia de um furto contra eles,praticado sem violência nem grave ameaça. 

 

Delegado-adjunto da 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte), o delegado Paulo Renato Fayão explicou que a partir da prisão do trio, em novembro, equipes começaram a buscar por todas as ocorrências envolvendo o grupo. Após ficar comprovada a participação deles em ao menos 10 furtos, houve o pedido de prisão preventiva a Justiça.

 

O homem encontrado na Bahia tem passagens criminais por explosão a caixa eletrônico e roubo a banco no estado. O encontrado em Ceilândia tem 52 anos e é considerado o mais perigoso. Ele acumula passagens pela polícia desde 1991. Entre os crimes, formação de quadrilha, estelionatos, furtos qualificados e tráfico de drogas

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade