Publicidade

Correio Braziliense

Estudante da UnB é preso por tráfico; ele produzia drogas gourmets em casa

Flagrante ocorreu na casa do universitário de agronomia, no Jardim Botânico. Segundo a Polícia Civil, jovem de 23 anos tinha um mini laboratório na residência


postado em 21/08/2019 21:47

Polícia encontrou um mini laboratório na casa do traficante no Jardim Botânico(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Polícia encontrou um mini laboratório na casa do traficante no Jardim Botânico (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Um estudante da Universidade de Brasília (UnB) foi preso em casa, em um condomínio do Jardim Botânico, suspeito de traficar drogas sintéticas e entorpecentes com a substância mais pura da maconha, o THC. O flagrante ocorreu na tarde desta quarta-feira (21/8). Policiais da 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião) encontraram um mini laboratório dentro da residência do jovem de 23 anos, onde ele extraia as substâncias e preparava para venda. Investigadores encontraram skunk, haxixe e MDMA, o princípio ativo do ecstasy.

A equipe chegou até o universitário de agronomia por meio de denúncias anônimas. Ao ir até o condomínio nesta quarta-feira, os agentes flagraram um carro com quatro pessoas a bordo deixando o endereço. Ao fazer a abordagem, os policiais encontraram skunk e haxixe com três dos quatro ocupantes do Fiat 500. Dois deles também eram estudantes da UnB e, segundo o delegado-plantonista responsável pelo caso, Marcelo Morum, o grupo estava indo para a universidade.

Dentro da residência do estudante de agronomia, os policiais encontraram o restante das drogas. Cada porção de haxixe era comercializada por R$ 70 a R$ 100. Além disso, segundo o investigador, o universitário tinha em torno de R$ 15 mil a R$ 20 mil da droga sintética MDMA. "Durante o flagrante o celular dele não parava de tocar. Inclusive outros estudantes estavam ligando para ele", contou Marcelo.
 
Laboratório em casa 

Os pais do estudante não estavam mais morando na mesma residência. "Ele mantinha um mini laboratório, onde preparava uma qualidade alta do haxixe, extraia o composto da maconha, limpava e organizava para a venda. Encontramos várias porções para serem fracionadas e elas eram comercializadas, inclusive, em potes amarelos emborrachados para evitar o ressecamento. Era algo voltado para a classe média alta", afirmou o delegado.

O jovem foi preso por tráfico de drogas e pode pegar de 5 a 15 anos de prisão. Segundo o delegado, ele tentou alegar que a quantidade seria para consumo pessoal. "Mas não fazia sentido. Era uma quantidade muito alta de droga", alegou o delegado. 

O investigador ainda contou que o irmão do universitário foi preso neste ano, também por tráfico, em uma operação da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord). Segundo o delegado, dos quatro ocupantes, os dois que não eram estudantes da UnB também têm passagem pela polícia pelo mesmo crime.
  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade