Publicidade

Correio Braziliense CENTROS OLÍMPICOS

Um dia de craque em campo

Alunos de Ceilândia, Estrutural e Gama participaram de clínica de futebol no Estádio Mané Garrincha, conheceram vestiários e se inspiraram com a história do zagueiro Emerson


postado em 24/08/2019 17:54 / atualizado em 24/08/2019 18:36

Alongamento dos times(foto: Camila de Magalhães/FAC)
Alongamento dos times (foto: Camila de Magalhães/FAC)

Duzentas e setenta e cinco crianças e jovens saíram ontem (24/8) dos Centros Olímpicos e Paralímpicos da Estrutural, Setor O e Gama para experimentar um dia de craque no Estádio Mané Garrincha. A garotada percorreu os vestiários e entrou no gramado pela mesma entrada que os atletas da Copa do Mundo 2014 e dos grandes jogos sediados por lá. Nas arquibancadas, a torcida era dos familiares. Em campo, a garotada fez muitos gols em uma clínica de futebol organizada pelos ex-jogadores Gerson Freitas e Romualdo Dantas, que hoje integram a equipe da Fundação Assis Chateaubriand (FAC) na gerência didático-pedagógica dos Centros Olímpicos de Setor O e Estrutural, respectivamente. A iniciativa foi promovida pela Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal, em parceria com a FAC e o Idecace - Instituto para o Desenvolvimento da Criança e do Adolescente pela Cultura, Esporte e Educação.
 
Hora do jogo(foto: Camila de Magalhães/FAC)
Hora do jogo (foto: Camila de Magalhães/FAC)
 

Moradora de Ceilândia, a dona de casa Helena Cristina Vicente da Silva, 32 anos, conta que nem dormiu direito para garantir que chegasse ao na hora certa. Ao lado da sobrinha, ela assistia orgulhosa ao único filho no gramado, Ítalo Christiann da Silva, 12, aluno de futebol na unidade de Setor O. “Estive aqui durante a construção do estádio há 11 anos, trabalhei na organização e limpeza das cadeiras e nunca mais tinha voltado. Estar aqui de volta vendo meu filho em campo é muito emocionante. Quem sabe ele seja um grande jogador no futuro e volte a jogar aqui com um time grande”, comentou Helena. Para Ítalo, a experiência foi muito feliz: “Pisar no gramado é uma sensação única, que nunca vou conseguir descrever e vou levar para a vida inteira.”

Quem também aproveitou o programa foi a atleta da Estrutural Ana Vitória Evangelista, 10. “Foi minha primeira vez aqui e agradeço por nos darem essa oportunidade. Adorei jogar bola no campo e conhecer onde os jogadores se trocam. Isso não dá para esquecer. É uma coisa que vai ficar marcada no meu coração para sempre”, destacou a menina.

Sonhos e dedicação

Emerson autografa chuteiras e camisetas das crianças(foto: Camila de Magalhães/FAC)
Emerson autografa chuteiras e camisetas das crianças (foto: Camila de Magalhães/FAC)

 

Alvo de muitos pedidos de autógrafos, abraços e fotos, o zagueiro do Gama Emerson dos Santos da Silva compartilhou sua história de vida e inspirou os pequenos em uma palestra. Ele contou que começou pelas categorias de base do Gama, rodou o Brasil em mais de 10 times (entre eles, Botafogo, Flamengo, Coritiba, Atlético Mineiro) e agora está de volta ao clube onde tudo começou. “Minha mensagem para eles é que sonhem e tenham esperança, já que a gente é movido a sonhos. Comecei jogando ainda criança em Ceilândia, onde eu morava, consegui me profissionalizar e chegar ao ápice, que foi a Seleção Brasileira, em 2011. Quando a gente tem uma meta, precisamos de dedicação. Esse foi um fator importante na minha carreira, com o apoio dos meus pais e professores. O próprio Romualdo e o Gerson foram minhas referências, pois já eram profissionais e eu queria ser como eles.”
 
Zagueiro do Gama, Emerson conta sua história para as crianças(foto: Camila de Magalhães/FAC)
Zagueiro do Gama, Emerson conta sua história para as crianças (foto: Camila de Magalhães/FAC)
 
Para o secretário de Esporte e Lazer do DF, Leandro Cruz, presenciar essa manhã especial foi gratificante. “Teve professor chorando, criança chorando. Uma emoção que só quem vê o brilho no olhar de cada criança e o sonho de cada uma pode ter noção do que elas e os professores estão vivendo neste momento. Muitas dessas crianças sonham em ser jogadoras de futebol no futuro e muitas não serão. Estamos realizando não só o sonho delas, mas também dos professores e dos pais presentes nesta grande ação”, destacou. Ao final do evento, os pequenos participantes foram homenageados com medalhas e certificados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade