Publicidade

Correio Braziliense

Para delegado, assassino de Letícia tem plena consciência de seus atos

O delegado Fabrício Machado diz que pedirá a prisão preventiva do homem que confessou ter matada a advogada e funcionária do MEC Letícia Sousa


postado em 26/08/2019 19:35 / atualizado em 26/08/2019 21:19

(foto: Isa Stacciarini/CB/D.A.Press)
(foto: Isa Stacciarini/CB/D.A.Press)
A Policia Civil vai pedir a prisão preventiva do assassino confesso da funcionária terceirizada do Ministério da Educação (MEC) Letícia Curado Melo, 26 anos. Marinesio Olinto, 41, está preso temporariamente, mas o delegado da 31ª DP (Planaltina), Fabrício Augusto Machado, responsável pela investigação, vai pedir que o cozinheiro fique mais tempo detido até a conclusão das investigações. Na avaliação do delegado, o acusado demonstra frieza e tem "plena consciência" de suas ações.

Segundo o investigador, Marinesio ficou, ao menos, de duas a três horas com a vítima. "Ele disse que a asfixiou porque ela se assustou com a indicação do autor de ter relação sexual", disse Machado. Além disso, o acusado, que é cozinheiro e não tinha passagem pela polícia, confessou ter assassinado Genir Pereira de Sousa, em junho passado, informou ao Correio a delegada Jane Klébia, da 6ª DP (Paranoá). Os dois crimes guardam muitas semelhanças. E uma terceira vítima, que sobreviveu a ataque semelhante, o reconheceu na delegacia.

Pela morte de Letícia, Marinesio pode responder por feminicidio, roubo, ocultação de cadáver e estupro, se a perícia confirmar violência sexual. "Ele tinha plena consciência de sua ação", acredita Machado.

Segundo o delegado, no sábado (24/8), um dia depois do crime, Marinesio demonstrou tranquilidade ao ser indagado sobre estar de posse do celular de Letícia. Segundo sua versão, ele havia comprado o aparelho no mercado ilegal. "Ele disse que estava tranquilo e, como um criminoso que sabe do seu comportamento, alegava que só ia responder pelo crime de receptação", disse o investigador.


Entenda todos os desdobramentos do caso:

Ver galeria . 7 Fotos A advogada e funcionária terceirizada do MEC Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, desaparece na sexta-feira 26/8. A última vez que a família a vê é quando ela sai para trabalhar, pela manhãInstagram/Reprodução
A advogada e funcionária terceirizada do MEC Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, desaparece na sexta-feira 26/8. A última vez que a família a vê é quando ela sai para trabalhar, pela manhã (foto: Instagram/Reprodução )

Prisão e confissão

prisão de Marinesio foi anunciada pela Polícia Civil do Distrito Federal na manhã desta segunda-feira (26/8). Após negar ter relação com o desaparecimento de Letícia Sousa, acabou confessando que matou a advogada e funcionária do Ministério da Educação (MEC). Em seguida, levou agentes da 31ª Delegacia de Polícia até o corpo da jovem, que estava desaparecida desde a sexta-feira (23/8). 

Veja fotos de Letícia Curado Melo:

Ver galeria . 7 Fotos Instagram/Reprodução
(foto: Instagram/Reprodução )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade