Publicidade

Correio Braziliense

Em velório, amigos e parentes despedem-se de professor morto em escola

Colégio estadual em Águas Lindas (GO) terá atividades de apoio a alunos, pais e à equipe pedagógica na próxima semana. Aulas ficarão suspensas até sexta-feira (6/9)


postado em 31/08/2019 16:45 / atualizado em 31/08/2019 20:23

Clima mistura tristeza e revolta(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Clima mistura tristeza e revolta (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
 
A dor da perda marcou a tarde deste sábado (31/8) para amigos, familiares e colegas de trabalho do professor Bruno Pires, 41 anos, assassinado na sexta-feira (30/8). Cerca de 500 pessoas passaram pela Capela 1 do Cemitério de Taguatinga para se despedir do coordenador do Colégio Estadual Machado de Assis (Cema), esfaqueado por um estudante de 18 anos. Ele será enterrado às 17h. 

Os estudantes ficarão sem aula durante toda a próxima semana e a comunidade escolar receberá apoio da Coordenação Regional de Educação de Águas Lindas (GO). Uma equipe multidisciplinar de psicólogos, assistentes sociais e psicopedagogos promoverá atividades de acolhimento para famílias, alunos e para toda a equipe da instituição. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), decretou luto de cinco dias na instituição de ensino.

As demais escolas públicas de Águas Lindas não terão aula na segunda-feira (2/9). "A Secretaria Municipal de Educação está dando todo o apoio à comunidade escolar. Há intenção de fazer um momento de solidariedade entre os estudantes e professores do colégio de Céu Azul (onde o professor Júlio César Barroso de Sousa foi assassinado em maio) com a comunidade de Machado de Assis", disse o coordenador regional de educação de Águas Lindas, Kris Cleyton Leite. 
 
Escola não terá aula na próxima semana (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Escola não terá aula na próxima semana (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

 
Coordenadora pedagógica do Cema, Juliana Ketlem Alves fez um discurso direcionado aos pais e estudantes. “Por trás de sua educação tem um professor que se dedicou a você. Recebemos os alunos como filhos, passamos princípios a eles e acreditamos neles. Vou trabalhar para que a memória de Bruno fique viva”, declarou. "Ensinem seus filhos a ouvir um 'não'", completou. 

Aluna do 1º ano do ensino médio, Elane Sobreira, 16, comentou que Bruno era um excelente professor, além de alegre e divertido. "Ele era muito carinhoso com os estudantes. Chamava as alunas de 'florzinha' e era muito brincalhão. Ficamos muito tristes com a notícia", lamentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade