Publicidade

Correio Braziliense

Feminicídio: Jovem é morta pelo ex-namorado após anunciar suposta gravidez

Anthonyara Lorrana Cruz de Sousa, 20 anos, disse para a mãe que ia fazer um teste de gravidez com o ex-namorado e não foi mais vista


postado em 06/09/2019 12:11 / atualizado em 06/09/2019 14:07

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
Uma suposta gravidez teria motivado um homem de 21 anos a matar a ex-namorada. Anthonyara Lorrana Cruz de Sousa, 20, estava desaparecida desde 27 de agosto e o corpo foi encontrado uma semana depois, em 3 de setembro, em uma casa abandonada no Residencial Greenville, no Novo Gama. O suspeito, Kelson Lima de Souza, confessou o crime e está preso.

De acordo com a Polícia Civil de Goiás, o homem tinha um relacionamento com a vítima e, quando soube que ela poderia estar grávida, a matou com um tiro na cabeça. A mãe de Anthonyara, Shirley Maria Cruz de Sousa, contou ao Correio que a filha disse que ia fazer um teste de gravidez com o ex-namorado, mas não informou onde seria. Essa foi a última vez que as duas tiveram contato. 

Quando percebeu que a jovem demorava, Shirley entrou em contato com clínicas médicas do Novo Gama, mas não conseguiu nenhuma informação sobre a filha. "Ela saiu com a roupa que estava. Eu sabia desse namoro, mas não aprovava. Quando minha filha sumiu, eu logo desconfiei dele. Ele não aceitava que ela pudesse estar grávida e fez o que fez", contou Shirley. 

Anthonyara morava com a mãe e um filho de 3 anos. "Ele já sabe que a mãe morreu. Ouviu os policiais falando e agora ele não para de falar isso. Ele está doente, febril e tem medo de ficar sozinho. Está vendo coisas, está completamente assustado. Ele sente muito a falta dela", disse a tia da vítima, Eulalia Santos, 24.

A família aguarda a liberação do corpo para fazer o velório. "Ela já foi encontrada em estado de decomposição, então o IML (Instituto de Medicina Legal) não conseguiu pegar as digitais dela. Além disso, fizeram exames para comprovar se ela realmente estava grávida. Depois que a gente receber essas informações, conseguiremos a liberação para velar o corpo da minha sobrinha", afirmou Eulalia.
 
O delegado titular do Grupo Especial de Investigação de Homicídio (GIH) do Novo Gama, Danillo Martins, explicou que Kelson foi preso na última quarta-feira (4/9) por posse de arma de fogo. Durante o interrogatório, ele confessou que teria matado a ex-namorada com a espingarda. No entanto, não revelou a motivação e nem deu detalhes do crime.
 
O suspeito passa por audiência de custódia nesta sexta-feira (6/9), mas não poderá ser liberado. "Nós cumprimos, hoje pela manhã, o mandado de prisão temporária, por isso, mesmo em audiência ele não pode ser solto", afirmou o delegado. O suspeito já tinha passagem pela polícia por posse de drogas e roubo. 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade