Publicidade

Correio Braziliense

Setembro Amarelo: unidades de saúde oferecem apoio gratuito a quem precisa

Campanha Setembro Amarelo tem o objetivo de quebrar o preconceito em relação às doenças psiquiátricas, com pessoas que estão sofrendo devido a problemas mentais, principalmente a depressão


postado em 13/09/2019 06:00

Ação da Secretaria de Saúde para destacar o Setembro Amarelo(foto: Divulgaçao/Secretaria de Saude)
Ação da Secretaria de Saúde para destacar o Setembro Amarelo (foto: Divulgaçao/Secretaria de Saude)
“Chegou um tempo que eu não sentia mais prazer na vida, não queria mais ver ninguém e nem sair de casa. A única coisa que eu fazia era trabalhar, porque precisava pagar as minhas contas, meu aluguel, me sentia feia e para baixo. Até o dia em que procurei ajuda e comecei um tratamento. Em quatro meses me senti preparada e, hoje, estou ótima”, revela a esteticista Naiara Fadel, 25 anos. Ela continua com os tratamentos contra depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia.

Os transtornos foram descobertos em junho do ano passado, quando teve um surto um dia antes de apresentar o trabalho de conclusão do curso de arquitetura. Na noite de 11 de junho, sentiu como se estivesse sendo perseguida e se trancou dentro do apartamento onde morava, com medo e muito inquieta. Uma amiga chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e ela foi levada para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), em seguida para o Hospital São Vicente de Paula (HSVP), onde ficou um mês internada. “Esperei tanto pelo dia de apresentar meu trabalho e me formar, mas na data eu estava internada”, lembra.

Após uma série de exames, foi diagnosticada com os transtornos e, logo, começou o tratamento. “Passei a tomar um remédio, mas ele não me fez muito bem. Depois, o médico receitou outro e foi aí que minha vida começou a ganhar cor novamente. Minha autoestima começou a voltar e a primeira coisa que decidi foi cortar meu cabelo no estilo chanel, bem moderno. Estou feliz. O apoio da minha família, que esteve sempre presente, nesse processo foi fundamental”, destaca Naiara.

A psiquiatra da Secretaria de Saúde Fernanda Benquerer explicou que a presença da família e dos amigos é fundamental para quem passa por qualquer tipo de transtorno. “Não pode deixar o parente sozinho, tem que acompanhar nas consultas e retirar o acesso a métodos perigosos. Além disso, é importante ouvir a pessoa e, acima de tudo, não julgar aquilo que ela está passando ou sentindo”, ressalta.

Estatística

Os transtornos mentais estão entre as principais causas que levam uma pessoa a cometer um suicídio. Os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a cada 40 segundos uma pessoa tira a própria vida em algum lugar do mundo. Além disso, o suicídio é a segunda principal causa de morte entre os jovens, ficando atrás de acidentes de trânsito.

Integrante da Associação Brasileira de Psiquiatria, a médica Ana Paula Hecksher Faber explica que a campanha do Setembro Amarelo tem o objetivo de quebrar o preconceito com as doenças psiquiátricas, com pessoas que estão sofrendo com as várias doenças mentais, principalmente a depressão.

“Para cada quatro mulheres, uma vai ter depressão ao longo de sua vida. Para cada 10 homens, um vai ter depressão ao longo de sua vida. Ou seja, se a depressão é a principal causa do suicídio, se a gente consegue quebrar o preconceito, o tabu com as doenças mentais, nós vamos tratar essas pessoas no começo do problema”, alerta. Ela acrescenta que a conscientização não deve ser somente em setembro e que o mês é apenas uma concentração de esforços na prevenção.

A Secretaria de Saúde oferece apoio por meio dos Centros de Atenção Psicossocial, do Instituto de Saúde Mental (ISM) e do Hospital São Vicente de Paula durante o ano inteiro. Esta semana, a pasta deu início à programação do Setembro Amarelo. As ações ocorrem até o fim do mês em várias Unidades Básicas de Saúde.

Onde pedir ajuda

» Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi) 

Atende crianças e adolescentes que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes (até os 17 anos, 11 meses e 29 dias) ou sofrimento psíquico decorrente do uso de substâncias psicoativas (até 15 anos, 11 meses e 29 dias)

» CAPSi Brasília (Asa Norte, Asa Sul, Cruzeiro, Lago Norte, Lago Sul, Sudoeste, Octogonal, Noroeste, Vila Planalto, Granja do Torto, Varjão, Paranoá, Itapoã, São Sebastião, Jardim Botânico, Estrutural, Guará I e II, Park Way)
» Endereço: SMHN, Qd. 03, Conj. 1, Bloco A, Ed. COMPP – Asa Norte, Brasília/DF
» Telefone: 2017-1900 (Ramais 7710 e 7711)

» CAPSi Taguatinga (Taguatinga, Águas Claras, Vicente Pires, Ceilândia, Areal, Arniqueiras)
» Endereço: QNF, AE 24 – Taguatinga/DF
» Telefone: 99124-2067/2017-1755

» CAPSi Recanto das Emas (Recanto das Emas, Samambaia, Gama, Santa Maria, Riacho Fundo I, Riacho II, Núcleo Bandeirante, Candangolândia)
» Endereço: Quadra 307, A/E 1 (no Centro de Saúde 1 do Recanto das Emas)
» Telefone: 2017-2303

» CAPSi Sobradinho (Planaltina, Sobradinho I e II, Fercal, Lago Oeste)
» Endereço: Quadra 4, Área Especial, Lote 6, Sobradinho I
» Telefone: 2017-1238 (Ramal 2110)

» Centro de Atenção Psicossocial 1 (CAPS I)

» Atende pessoas de todas as idades e que apresentam sofrimento psíquico intenso decorrente de transtornos mentais graves e persistentes ou do uso de álcool e outras drogas. Funciona de segunda a sexta-feira em horário comercial.

» Centro de Atenção Psicossocial (CAPS I Brazlândia (Brazlândia)
» Endereço: Quadra 01, AE 2, Setor Veredas —  Brazlândia

» Centro de Atenção Psicossocial 2 (CAPS II)

» QNA 39 Área Especial 19 — Taguatinga,
» Atende pessoas a partir de 18 anos que apresentam intenso sofrimento psíquico. Funciona de segunda a sexta-feira em horário comercial.

» CAPS Brasília (Asa Norte, Asa Sul, Lago Norte, Lago Sul, Varjão, Sudoeste, Octogonal, Cruzeiro)
» Endereço: SCRLN 905 SAP 1 (antiga UBS 11) – Asa Norte
» Telefone: 92001-7782 / 92001-7779

» CAPS Paranoá (Paranoá — áreas urbana e rural —, Paranoá Parque, Itapoã I e II, Condomínios do Jardim Botânico, Condomínios do Altiplano Leste, Setor de Mansões Dom Bosco, Mangueiral, São Sebastião (áreas urbana e rural)
» Endereço: Q. 02, Conj. K, AE 1, Setor Hospitalar do Paranoá – Paranoá
» Telefone: 2017-1231 (ramais: 2250 e 2251)

» CAPS Planaltina (Planaltina, Sobradinho I e II —áreas urbana e rural — e Fercal)
» Endereço: Via W/L nº 4 Setor Hospitalar Oeste, AE – Planaltina/DF
» Telefone: 2017-1350 (ramal: 1267)

» CAPS Riacho Fundo (Estrutural, Candangolândia, Guará I e II, Núcleo Bandeirante, Park Way, Riacho Fundo I e II, Vargem Bonita, Gama, Santa Maria)
» Endereço: EPNB, KM 2, Granja do Riacho Fundo, AE, s/n – Riacho Fundo
Telefone: 2017-1145 (Ramal 1296)

» CAPS Taguatinga (Taguatinga, Vicente Pires, Águas Claras, Areal, Arniqueiras, Ceilândia — com exceção da QNM e QNN)
» Endereço: QNA 39, AE 19 – Taguatinga Norte
» Telefone: 99223-8456

» Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III)

» Atende pessoas a partir de 18 anos que apresentem sofrimento psíquico intenso decorrente de transtornos mentais graves e persistente. Funciona 24 horas por dia, incluindo finais de semana e feriados

» CAPS III Samambaia (Recanto das Emas, Samambaia, QNN/QNM de Ceilândia)
» Endereço: Quadra 302, Conjunto 5, Lote 1, Centro Urbano – Samambaia Sul
» Telefone: 991414726 /99157-0815

» Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas 2 (CAPS AD II)

» Atende pessoas a partir dos 16 anos que apresentem sofrimento psíquico intenso decorrente do uso de álcool e outras drogas. Funciona de segunda a sexta-feira em horário comercial

» CAPS AD II Guará (Guará I e II, Estrutural, Riacho Fundo I e II, Candangolândia, Núcleo Bandeirante, Park Way)
» Endereço: QE 23, Área Especial S/N, Subsolo do Centro de Saúde 02 – Guará II
» Telefone: 2017- 1145 (Ramais 3781 e 3782)

» CAPS AD II Itapoã (Paranoá — áreas urbana e rural —, Paranoá Parque, Itapoã, São Sebastião, Jardim Botânico, Jardim Mangueiral)
» Endereço: Anexo II, Complexo Administrativo do Itapoã, Q. 378, Conj. A, AE 4, Lago Oeste – Itapoã
» Telefone: 99113-0736 / 2017-1677 (ramal 2252)

» CAPS AD II Santa Maria (Gama e Santa Maria)
» Endereço: Q. 312, Conj. H, Casa 12 – Santa Maria Norte
» Telefone: 3394-8162

» CAPS AD II Sobradinho (Planaltina, Sobradinho I e II, Sobradinho II, Fercal)
» Endereço: AR 17, chácara 14 (antigo Centro de Saúde nº 3) – Sobradinho II
» Telefone: 2117-2115

» Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas 3 (CAPS AD III)

» Atende pessoas a partir de 16 anos que apresentem sofrimento psíquico intenso decorrente do uso de álcool e outras drogas. Funciona 24 horas por dia, incluindo finais de semana e feriados

» CAPS AD III Brasília (Asa Norte, Asa Sul, Lago Norte, Lago Sul, Cruzeiro, Octogonal, Vila Planalto, Vila Telebrasília, Sudoeste e Varjão)
» Endereço: SCS, Q. 5, Bloco C, Loja 73 – Asa Sul, Brasília/DF
» Telefone: 92001-0634

» CAPS AD III Ceilândia
» Endereço: QNN 01, Conj. A, Lote 45/47, Av. Leste – Ceilândia Norte/DF
» Telefone: 2017-2000 (R:4705)

» CAPS AD III Samambaia (Samambaia, Taguatinga, Recanto das Emas, Águas Claras, Areal, Arniqueiras, Vicente Pires)
» Endereço: QS 107, Conj. 8, Lotes 3, 4 e 5 — Samambaia
» Hospital São Vicente de Paulo
» Endereço: QSC 01, Área Especial, St. C Sul QSC Ae — Taguatinga
» Telefone: 92001-0634

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade