Publicidade

Correio Braziliense

Polícia prende suspeito de vender lotes em área invadida no Lago Norte

Segundo a Polícia Civil, os 36 lotes eram destinados à construção de um condomínio de luxo. O terreno é da Terracap e está dentro de área de preservação do Lago Paranoá


postado em 13/09/2019 10:05 / atualizado em 13/09/2019 10:14

(foto: PCDF / Divulgação )
(foto: PCDF / Divulgação )
A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, em flagrante, uma pessoa no Lago Norte sob a acusação de parcelamento irregular do solo para fins urbanos. Segundo a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e a Ordem Urbanística (Dema), o terreno público estava sendo usado para construção de um condomínio de luxo. 

O espaço ocupado abrange uma gleba de 20.132.124 m², situada em uma Área de Preservação Ambiental do Lago Paranoá, que pertence a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). De acordo com os agentes, ao chegar no local, os policiais encontraram a área murada, onde estavam sendo realizadas obras de nivelamento do solo e abertura de ruas. 

Segundo a Polícia Civil, parcelamento irregular no Lago Norte foi aberto em terras da Terracap e previa condomínio de luxo (foto: PCDF/ Divulgação )
Segundo a Polícia Civil, parcelamento irregular no Lago Norte foi aberto em terras da Terracap e previa condomínio de luxo (foto: PCDF/ Divulgação )
Os investigadores afirmam que o terreno estava sendo usado para construção de um condomínio de alto padrão, localizado nas proximidades do Shopping Iguatemi. O parcelamento tinha 36 lotes entre 340 m² e 635 m². Cada um era vendido por cerca de R$ 200 mil. O lucro final seria de, pelo menos, R$ 7,2 milhões. Os lotes eram vendidos em mídias sociais, além de divulgados em folders e encartes com a planta virtual. 
 
Folders apresentavam a planta virtual do empreendimento (foto: PCDF / Divulgação )
Folders apresentavam a planta virtual do empreendimento (foto: PCDF / Divulgação )
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade