Publicidade

Correio Braziliense

Polícia faz buscas no apartamento funcional de Flordelis em Brasília

O apartamento funcional da deputada, na Asa Norte, é alvo da Polícia Civil nesta terça-feira (17). Outros três endereços ligados a Flordelis no Rio de Janeiro também são investigados


postado em 17/09/2019 07:31 / atualizado em 17/09/2019 09:28

Apartamento funcional da deputada Flordelis na Asa Norte é alvo da polícia (foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Apartamento funcional da deputada Flordelis na Asa Norte é alvo da polícia (foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
O apartamento funcional da deputada Flordelis (PSD-RJ), na Asa Norte, é alvo de buscas da polícia na manhã desta terça-feira (17/9). No local, a polícia apreendeu o celular de uma neta da parlamentar.

Outros três endereços ligados a deputada federal, no Rio de Janeiro, também estão na mira dos investigadores: o local do crime em Niterói, uma casa em Jacarepaguá e o gabinete da parlamentar que fica no centro do Rio.

Os policiais fazem parte da Divisão de Homicídios do Rio de Janeiro e chegaram ao local por volta das 6h da manhã. A Polícia Legislativa acompanha os mandados de busca e apreensão. A deputada não está em Brasília, mas um casal ocupava o apartamento.

A investigação ainda busca entender a motivação para a morte do pastor Anderson Carmo, marido de Flordelis. Dois dos filhos do casal, Lucas de Souza e Flávio Rodrigues, estão presos acusados do assassinato. A reconstituição do crime está marcada para acontecer no sábado, (21/9).

Anderson do Carmo foi morto no dia 16 de junho deste ano, dentro da casa onde morava com a deputada e parte dos 55 filhos, a maioria adotados, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro.

Dois dias depois do crime, policiais encontraram a arma usada para matar Anderson enrolada em um pano, em um armário, na casa da família. Além disso, um edredon com manchas de sangue e uma fogueira com objetos queimados também foram encontrados.

 

Flordelis e duas filhas do casal também são suspeitas de envolvimento no crime. 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade