Publicidade

Correio Braziliense

Volume do Descoberto pode ficar abaixo de 80% a partir desta quinta-feira

A última vez que o reservatório teve nível inferior a 80% foi em 25 de novembro de 2018, com 78,9%


postado em 18/09/2019 18:04 / atualizado em 18/09/2019 18:06

Durante a medição desta quarta-feira (18/9), a taxa chegou a 80,1%(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Durante a medição desta quarta-feira (18/9), a taxa chegou a 80,1% (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
O nível da água do reservatório do Descoberto pode ficar abaixo dos 80% a partir desta quinta-feira (19/9). Há quase 10 meses, a barragem registra volumes acima dessa taxa. A última vez que o cálculo registrou índice inferior foi em 25 de novembro de 2018, ocasião em que o reservatório atingiu 78,9%.

Durante a medição desta quarta-feira (18/9), a taxa chegou a 80,1%. Nas últimas semanas, o nível tem caído entre 0,1% e 0,2% diariamente. Como o Distrito Federal completa 107 dias sem chuva, e não há previsão para a volta das precipitações, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a tendência é que o número continue abaixando aos poucos nos próximos dias. 

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) diz, contudo, que a população não precisa se preocupar com as baixas. A estimativa do órgão era que no mês de agosto, o volume do descoberto chegasse a 69%, ou seja, "a porcentagem está muito boa" na avaliação da equipe.

Racionamento

Entre 16 de janeiro de 2017 e 15 de junho de 2018, o brasiliense sofreu com o racionamento de água em todo o Distrito Federal. Em razão do baixo nível dos reservatórios, foi preciso iniciar um esquema de rodízio nas regiões atendidas pela Barragem do Descoberto, responsável pela distribuição de água de cerca de 60% da população da capital. Após 43 dias, as cidades abastecidas pela Barragem de Santa Maria, que atende 24% dos moradores do DF, também precisaram enfrentar o racionamento. 

O reservatório do Descoberto chegou a 5,3% da capacidade total, o menor nível da história. Já o de Santa Maria chegou a 21,9%. Com o início das chuvas, o volume voltou a subir. Além disso, o então governador Rodrigo Rollemberg afirmou que a população ajudou economizando água no dia a dia. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade