Publicidade

Correio Braziliense

Governo decreta luto e diz que fará todos esforços para prender assassinos

Em nota oficial, a Secretaria de Segurança Pública do DF ressaltou que crime quebra período de 2 anos sem latrocínios na região


postado em 22/09/2019 13:53 / atualizado em 22/09/2019 15:12

(foto: Ed Alves/CB/D.A.Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A.Press)
O governador Ibaneis Rocha (MDB) decretou luto oficial de três dias pela morte do padre Kazimierz Wojno, 71 anos, mais conhecido como Casemiro, da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, localizada na 702 Norte. A Secretaria de Segurança Pública afirmou que "todos os esforços estão envidados pelas forças de segurança para identificar e prender o(s) autor(es) desse crime". A pasta destacou, em nota oficial, que esse foi o primeiro latrocínio na região em dois anos. 

 

Também em nota, Ibaneis declarou que o assassinato do padre, "um homem de paz, amado e admirado por todos", leva a refletir sobre a sensação de insegurança no DF. “Expõe uma dura realidade que precisamos enfrentar com determinação. Por mais preparada e equipada que esteja a polícia, por mais rigorosas que sejam as leis, a criminalidade violenta expõe sua face onde e quando menos esperamos”, destacou. 

 

 

A Polícia Civil suspeita que quatro homens tenham participado do latrocínio. Segundo os investigadores, os criminosos abordaram o padre próximo à obra de reforma da casa paroquial.  

 

De acordo com o delegado à frente do caso, Laércio Rossetto, os policiais conseguiram imagens de circuitos de segurança que mostram os suspeitos pulando o muro da obra. “O que eu posso afirmar é que de fato aconteceu um latrocínio. Conseguimos filmagens da rua, que estão sendo analisadas, e fazemos perícia no local do crime”, frisou.  

 

O delegado explicou que o crime aconteceu entre 18h40 e 21h40. “O padre foi rendido e amarrado. Nossa suspeita é de que eles (os criminosos) já o aguardavam”, ressaltou o Rossetto. Segundo o delegado, alguns objetos foram deixados para trás no momento da fuga. Esses itens serão encaminhados para perícia.  

 

Violência

 

Não foi a primeira vez que a Paróquia Nossa Senhora da Saúde foi alvo de roubo. Em abril deste ano, em pleno domingo de Páscoa, o sacrário da casa, estimado em torno de R$ 20 mil, foi furtado e encontrado três dias depois sendo negociado em um ferro-velho em Samambaia. O objeto usado para guardar as hóstias consagradas estava amassado, riscado e faltando um pedaço. 

 

Em nota, a Arquidiocese de Brasília lamentou a morte do padre Casemiro e informou acompanhar o caso. De acordo com a entidade, o religioso tem 46 anos de sacerdócio. "Convidamos a todos para participarem do velório e da missa e exéquias na Paróquia N. Sra. da Saúde, em horários a serem divulgados tão logo possível", frisou o texto. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade