Publicidade

Correio Braziliense

Preces, comoção e indignação marcam sepultamento do padre Casemiro

Padre polonês foi vítima de latrocínio no sábado (21/9). Antes do enterro, sacerdote foi homenageado em duas missas


postado em 23/09/2019 19:52 / atualizado em 23/09/2019 19:54

Padre Marian Kulesza presta homenagem a Kazimierz Wojno(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Padre Marian Kulesza presta homenagem a Kazimierz Wojno (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

"Casemiro está feliz." Essas foram as palavras do padre polonês Marian Kulesza ao final do sepultamento do compatriota Kazimierz Wojno, vítima de latrocínio no último sábado (23/9). Orações e indignação marcaram o adeus de fiéis, amigos e familiares a Casemiro, como era conhecido o padre da paróquia Nossa Senhora da Saúde, na 702 Norte.

O sepultamento aconteceu às 17h desta segunda-feira (23/9). Marian discursou em homenagem ao sacerdote e alertou sobre a violência dos dias atuais, principalmente contra os cristãos. " São tempos muito difíceis para o cristianismo, os cristãos são atacados em todo o mundo por fazer a coisa certa, são seguidos por seguir o que o cristianismo prega", disse.
 
Ver galeria . 16 Fotos Carlos Vieira/CB/D.A Press
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press )
 
O padre também ressaltou a importância de preservar valores morais e da natureza. "Cada um de nós deveria estar consciente do que está acontecendo no mundo de hoje. Devemos prezar os valores da natureza, a Amazônia, e os valores morais. Não se pode desligar do cristianismo", acrescentou.
 
Em outro momento do enterro, um militar do Exército que estava entre os muitos fiéis que foram se despedir prestou continência ao padre e destacou os trabalhos de Casemiro ao país. "Casemiro apresentou-se pronto para o serviço, pronto para servir a nossa pátria, então a ele nossa gratidão e o nosso sinal de respeito a este grande e valoroso soldado."
 
Antes do enterro, Casemiro foi homenageado em duas cerimônias na Nossa Senhora da Saúde. A missa de sétimo dia está marcada para sábado, às 17h, também na paróquia.
 
*Estagiárias sob supervisão de Fernando Jordão 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade