Publicidade

Correio Braziliense

W3 Sul terá trânsito fechado aos sábados para ser centro de lazer

A proposta foi publicada nesta quarta-feira (9/10) no Diário Oficial do DF. O grupo de trabalho tem 60 dias para apresentar os estudos que viabilizam a medida


postado em 09/10/2019 18:07 / atualizado em 09/10/2019 18:23

Na W3, população terá acesso a lojas e restaurantes da avenida(foto: Tony Winston/Agência Brasília)
Na W3, população terá acesso a lojas e restaurantes da avenida (foto: Tony Winston/Agência Brasília)

Com o objetivo de fomentar o uso da W3 Sul como um espaço de comércio e lazer, o Governo do Distrito Federal (GDF) decidiu fechar o trânsito na avenida aos sábados. A proposta deve começar a valer em 2020, após a apresentação do estudo de viabilidade técnica para a implementação.

O decreto para a criação do grupo de trabalho responsável pela análise foi publicado no Diário Oficial do DF (DODF), nesta quarta-feira (9/10). O prazo para a apresentação do estudo é de 60 dias. "A ideia é humanizar a avenida e transformá-la num ponto de encontro das famílias do DF", afirma o secretário de Governo, José Humberto Pires, que ficará responsável pelo grupo.

O projeto segue o exemplo do Eixão do Lazer, que, aos domingos e feriados, interdita o trânsito de automóveis das 6h às 18h. No lugar dos carros, os brasilienses aproveitam para andar de bicicleta, correr, praticar esportes e organizar festivais e feiras. Na W3, a população terá, ainda, o acesso a lojas e restaurantes da avenida. Por isso, a intenção é que a medida ajude a fomentar o comércio local.

A revitalização da W3 é outra tentativa de resgatar o grande centro comercial que a avenida representava nos anos 70. As obras começaram pelas quadras 511 e 512. O governo pretende fazer uma reforma geral. "Faremos a recuperação de quadra a quadra", afirma José Humberto.

Estão envolvidos no projeto as secretarias de Obras, de Desenvolvimento Urbano e Habitação e de Transporte e Mobilidade. O Departamento de Trânsito do DF (Detran), o Departamento de Estradas de Rodagem (Der), a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e a Administração Regional do Plano Piloto também participam da iniciativa.

Além dos órgãos governamentais, o decreto prevê a participação de entidades voltadas aos interesses dos moradores, comércio, indústria e outras categorias que possam contribuir com o tema.

 

Com informações da Agência Brasília 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade