Publicidade

Correio Braziliense

Vídeo: Testamos o carro elétrico que será usado pelos servidores do DF

O carrinho pequeno e de aparência diferente é 100% elétrico e tem capacidade para rodar até 100 quilômetros (km) sem precisar ''reabastecer''


postado em 12/10/2019 07:00 / atualizado em 13/10/2019 10:08

Clayton Sousa, apresentador da TV Brasília, deu uma volta com o Twizy(foto: Reprodução)
Clayton Sousa, apresentador da TV Brasília, deu uma volta com o Twizy (foto: Reprodução)
Velocidade limitada, bancos exóticos e sensação de estar no futuro. Essas foram algumas das avaliações do editor e apresentador do Vrum — programa automobilístico da TV Brasília —, Clayton Sousa, que teve a oportunidade de testar um dos carros elétricos que serão usados pelo Governo do Distrito Federal (GDF). O modelo Twizy, da marca francesa Renault, foi aprovado pelo repórter. “Gostei demais dessa voltinha.”

De acordo com a experiência dele, a sensação de dirigir o Twizy é de estar anos à frente. “Esqueçam os filmes de ficção, porque o futuro nunca esteve tão perto”, destaca. “O carro chama muita atenção, as pessoas ficam curiosas”, completa.

O carrinho pequeno e de aparência diferente é 100% elétrico e tem capacidade para rodar até 100 quilômetros (km) sem precisar ‘reabastecer’. “A recarga demora aproximadamente três horas em uma tomada comum, de casa. Só a velocidade que é limitada a 80 km/hora, o que eu acho mais do que suficiente”, explica Clayton.

O interior do carro se destaca. “Os bancos são meio exóticos”, opina. “Outra curiosidade é que as portas abrem para cima. Parece aqueles carrões superesportivos. Só tem um detalhe: não há vidros”, descreve.

Ficou animado? De acordo com Clayton, se o Twizy fosse vendido nas concessionárias sairia pelo valor aproximado de R$ 90 mil. Mas, por enquanto, não é possível comprá-lo. Apenas empresas e governos podem tê-lo.

De acordo com o governo, cerca de 200 servidores já estão cadastrados para usar os carros para atividades internas.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade