Publicidade

Correio Braziliense

Público lota o Taguaparque para conferir a 5ª edição do Domingo Bom!

Evento, que fomenta a economia criativa e a cultura, é realizado aos segundos domingos do mês


postado em 13/10/2019 20:18 / atualizado em 13/10/2019 20:19

Evento contou com atrações como feira de artesanatos e apresentações musicais(foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
Evento contou com atrações como feira de artesanatos e apresentações musicais (foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
 
Taguatinga tem um novo evento para chamar de seu. No calendário da cidade desde junho, o Domingo Bom! ganhou mais uma edição neste domingo (13/10) e se torna cada vez mais conhecido da comunidade local. A quinta edição do evento, que tem o objetivo de estimular a economia criativa e fomentar a cultura, aconteceu no Taguaparque e contou com atrações como feira de artesanatos, apresentações musicais, foodtrucks, espaço para piquenique, brinquedos e contação de histórias para crianças. 

Realizado todo segundo domingo do mês, o projeto é capitaneado pela produtora cultural Luciana Ribeiro, 39 anos. A produtora destaca que o Domingo Bom! agrega diversos setores da economia criativa, além de proporcionar a convivência da comunidade com o Taguaparque. “De alguma forma, todo mundo é beneficiado com o seu trabalho e a geração de renda”, diz. “Eu sou muito grata pela comunidade ter abraçado esse projeto com todo o carinho e estar sempre presente”, acrescenta. 
 
Produtora cultural Luciana Ribeiro, 39, é a responsável pelo evento(foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
Produtora cultural Luciana Ribeiro, 39, é a responsável pelo evento (foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
 

A professora aposentada Joana Lima, 62, foi uma das expositoras desta edição do evento. Depois de deixar a Secretaria de Educação do DF, ela resolveu adotar uma nova vocação e encontrou em iniciativas como o Domingo Bom!, a oportunidade para expor seu trabalho.

“Eu me aposentei, mas, como acho que ainda estou muito ativa, resolvi fazer artesanato em costura. Tenho feito e vendo bastante coisa. É a primeira vez que estou participando do Domingo Bom! e tem sido excelente. O evento dá oportunidade pra todo mundo”, afirma.
 
Joana Lima, 62 anos, foi diretora de uma escola pública por 14 anos e hoje é artesã(foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
Joana Lima, 62 anos, foi diretora de uma escola pública por 14 anos e hoje é artesã (foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
 

Agora artesã, Joana foi diretora de uma escola pública por 14 anos e descobriu que o artesanato poderia ser muito mais que um hobbie. “Antigamente, uma pessoa de 61 anos era considerada velha. Hoje, não é mais. Acho que a gente morre aos poucos quando aposenta e fica sem fazer nada. Eu tenho uma vida ativa, faço meu artesanato, monto minhas coisas e vendo”, conta.

O Domingo Bom! proporciona a pessoas como Joana, a possibilidade de se reinserir no mercado, além de trabalhar com um público diferente do dia a dia e fazer contato para oportunidades futuras. Acostumada a vender seus produtos em escolas e órgãos públicos do DF, a artesã diz que, no evento do Taguaparque “tem um público mais variado e pode vender coisas a preços mais populares”. “O intuito também não é só vender. É interagir com as pessoas. Aqui, conhecemos muita gente e fazemos contatos para participar de outras feiras”, acrescenta a artesã, que confecciona produtos como lixeirinhas para carro, jogo de cozinha, boneca, porta-alicate, porta-Bíblia e jogo de Natal.

Além de Joana, 39 artesãos e artistas manuais puderam expor seus produtos na quinta edição do Domingo Bom!. Segundo Hebert Amorim, presidente da Federação das Associações dos Artesãos do Distrito Federal e Entorno (Faarte-DF), o projeto realizado no Taguaparque fortalece a economia e a produção criativa do Distrito Federal e possibilita que os artesãos escoem seus produtos. “É uma parceria bem bacana, onde a gente pode trazer os produtores, artesãos, trabalhadores manuais, para mostrar à cidade o que é produzido nela mesma. Fechamos essa parceria com a organização do Domingo Bom! para que a gente consiga fomentar toda essa cadeia produtiva que está sem espaço”, explica Hebert.
 
Evento ainda teve brinquedos infláveis para os pequenos(foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
Evento ainda teve brinquedos infláveis para os pequenos (foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
 

Jussy Nascimento, 36, atriz e professora de educação infantil, fez parte do público do Domingo Bom! nas edições anteriores e, desta vez, participou contando histórias para as crianças. “Quando eu conheci o evento, trouxe a família e a gente participou. Foram várias atividades legais e eu fico muito feliz de ser convidada para participar agora. Faço esse trabalho de contação de histórias em escolas e, para mim, está sendo um privilégio muito grande estar aqui com tanta gente legal. Vou colaborar para que o evento fique bem recreativo e infantil.”
 
O trabalho de Jussy Nascimento é voltado para a literatura infantil lúdica. A atriz utiliza recursos cênicos, sonoros e visuais para contar histórias para o público infantil. “Tenho personagens que eu mesma confecciono. Utilizo itens como instrumentos de percussão — que eu toco na hora — e recursos visuais para chamar um pouco a atenção da criançada. Elas se envolvem muito com o contexto da história. Quando eu chamo alguém pra me ajudar fazendo uma percussão ou um outro som, eles ficam bem mais concentrados. Ainda mais a criançada que fica lá sentada querendo participar também. Além da atividade ser lúdica, existe essa interação com a criança”, explica.
 
Atrações como a contação de histórias de Jussy e as toalhas estendidas pela grama —na área de piquenique — chamaram a atenção de Gabriela Rodrigues, 34, que levou a filha Giulia, 5 meses, para passear ao ar livre na manhã de domingo. “Eu frequento o parque há algum tempo porque moro aqui na Colônia Agrícola Samambaia. Tenho gostado muito dos eventos que estão tendo ultimamente. Eu acompanho o crescimento do parque há mais de 20 anos. E ter esses eventos culturais para que a gente possa trazer as crianças é sempre bom para que elas possam aprender sempre mais e se divertir”, diz.
 
Gabriela Rodrigues, 34 anos, que levou a filha Giulia, 5 meses, ao evento. As duas estavam acompanhadas de Isadora Morais, 35, e o filho, Bernardo Gabriel, 2, que vieram de Pirenópolis(foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
Gabriela Rodrigues, 34 anos, que levou a filha Giulia, 5 meses, ao evento. As duas estavam acompanhadas de Isadora Morais, 35, e o filho, Bernardo Gabriel, 2, que vieram de Pirenópolis (foto: Matheus Ferrari/Esp. CB/D.A Press)
 

Gabriela estava acompanhada da comerciante Isadora Morais, 35, que também aproveitou o evento para levar seu filho, Bernardo Gabriel, 2, para curtir o domingo. “Eu sabia que ia ter o projeto e resolvi vir. Sempre venho visitar minha família e foi a oportunidade de fazer uma coisa diferente com o Bernardo. Moramos em Pirenópolis e, apesar de ser uma cidade turística, nem sempre tem esse tipo de evento. Então, achei que seria uma oportunidade legal dele ver a família e fazer uma coisa diferente do que ele está acostumado a fazer na nossa cidade”, conta Isadora.

O Taguaparque possui 95 hectares e, de acordo com a Administração do Parque, cerca de 3 mil pessoas circulam pela área nos dias de semana. A administração aponta que, aos fins de semana, esse número dobra, chegando a 6 mil pessoas por dia e, ainda segundo a administração, em dias de eventos como o Domingo Bom!, a rotatividade no Taguaparque alcança cerca de 9 mil pessoas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade