Publicidade

Correio Braziliense

Feminicídio: homem mata ex-namorada com tiro no rosto no Pedregal

Antes de cometer o crime, o suspeito escreveu ameaças de morte na parede da casa da vítima


postado em 14/10/2019 12:54 / atualizado em 14/10/2019 13:37

(foto: Editoria de arte/CB/D.A Press)
(foto: Editoria de arte/CB/D.A Press)
O Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) do Novo Gama procura o principal suspeito de matar a ex-namorada, Denise Aparecida dos Santos, 46 anos. Cléber Rogério de Oliveira Soares, 36, namorou com a vítima por quase 4 anos e, segundo parentes da vítima, não aceitou o fim do relacionamento. Na manhã desta segunda-feira (14/10), ele atirou no rosto de Denise, dentro da casa dela.

De acordo com o delegado-titular da GIH do Novo Gama, Danilo Martins, Cleber já ameaçava a mulher e um suposto novo companheiro dela há alguns dias. "Ele escreveu na parede da casa dela mensagens dizendo que mataria ela e novo namorado. Hoje cedo, quando ela chegou em casa, na quadra 538 do Pedregal, o Cleber já estava lá e atirou nela", contou. Assim que cometeu o crime, o suspeito fugiu. 

A polícia espera o laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) que vai confirmar se a Denise foi alvejada com um ou mais tiros. "Até onde sabemos, ela morava sozinha e chegou sozinha em casa", disse o delegado. O GIH investiga o caso como feminicídio
 
Sobrinha de Denise, Samanta Estevam, 20, contou ao Correio que a tia terminou o relacionamento com Cléber havia aproximadamente quatro meses. "Minha tia terminou com ele e começou uma nova relação. Ela saiu ontem com o novo parceiro e ele escreveu na parede da casa que ia matar os dois", afirma. 
 
Samanta conta que a tia tentou registrar um boletim de ocorrência, mas como Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) estava fechado ela deixou para registrar hoje (14/10), pela manhã. "Ela veio dormir na casa da nossa prima. De manhã ela foi em casa, e quando ela entrou, ele a atacou". 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade