Publicidade

Correio Braziliense

Após mortes, motoristas de aplicativos pedem mais segurança

Cerca de mil pessoas foram às ruas para participar de uma carreata em protesto e solidariedade aos familiares de condutor assassinado. O ato começou às 10h e terminou por volta das 18h


postado em 15/10/2019 06:00 / atualizado em 15/10/2019 00:29

(foto: Washington Luiz da Silva/Divulgação)
(foto: Washington Luiz da Silva/Divulgação)
Familiares e amigos se despediram nesta segunda-feira (14/10) de Henrique Fabiano Dias. O velório começou às 13h30, na Capela 5 do Cemitério de Taguatinga. O enterro foi às 16h. O jovem era o mais velho de três filhos. Amiga da família há mais de 27 anos, Cláudia Fernandes, 38, conta que os parentes estão desolados. “Ele era muito trabalhador, por isso o via poucas vezes em casa. Quando ele comprou o carro, foi conversar comigo, porque eu também tinha feito uma compra recente de automóvel. Ele era bem orientado e tenho certeza de que nunca reagiria a um assalto. Ao sabermos do desaparecimento dele, eu pensei o pior”, contou.

Antes do enterro, cerca de mil motoristas de aplicativos foram às ruas para participar de uma carreata em protesto e solidariedade aos familiares do condutor assassinado. O ato começou às 10h e terminou por volta das 18h. Os motoristas se concentraram, inicialmente, na QN 202 de Samambaia. Depois, seguiram para Taguatinga, próximo ao Cemitério, onde o corpo de Henrique estava sendo velado.

“O que nos motivou foi a indignação. A categoria se sentiu insegura com tanta morte. Temos de mostrar para as autoridades que precisamos de apoio e de medidas que nos beneficiem. Não podemos trabalhar sem o mínimo de segurança. Alguns métodos podem ser adotados. Por exemplo, um indivíduo rouba uma pessoa e chama o aplicativo. Não há restrição e nem fiscalização para isso”, pontuou Lucas Douglas de Freitas, um dos idealizadores da carreata.

Mortes

Henrique Fabiano Dias foi encontrado morto, com sinais de estrangulamento, na madrugada de domingo, às margens de uma rua no SIA. A PM conseguiu localizar os envolvidos no assassinato. Cinco adolescentes, entre 14 e 17 anos, estavam no carro da vítima, no Guará, quando foram avistados por uma equipe da Rotam. Os jovens tentaram fugir, mas foram cercados. Três dos suspeitos confessaram participação na morte por estrangulamento.

Outro assassinato de um motorista por aplicativo marcou o DF. Na noite de sexta-feira, Tiego Cavalcante foi encontrado morto em uma estrada de chão em Samambaia. Policiais encontraram o carro da vítima abandonado em um estacionamento próximo à feira permanente, na Quadra 202 de Samambaia Norte.

Segundo o delegado da 32° Delegacia de Polícia (Samambaia Sul), Pedro de Moraes, dois suspeitos, de 20 e 33 anos, estão sendo investigados por suposto envolvimento na morte de Tiego. “Eles foram encontrados com o carro da vítima no dia seguinte, por volta das 20h, na Quadra 201 da região. Estavam embriagados. Um estava na direção e o outro empurrando o carro”, detalhou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade