Publicidade

Correio Braziliense

Polícia Civil prende professor suspeito de traficar drogas no DF

O homem, vinculado à Secretaria de Educação, é conhecido como O Professor e vendia entorpecentes no Lago Norte e em diversos pontos do Plano Piloto


postado em 16/10/2019 15:45 / atualizado em 16/10/2019 17:05

Os policiais prenderam o suspeito no Cruzeiro, nesta terça-feira (15/10)(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
Os policiais prenderam o suspeito no Cruzeiro, nesta terça-feira (15/10) (foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
Agentes da 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte) prenderam um homem de 43 anos acusado de tráfico de drogas. De acordo com os investigadores, o suspeito usava o próprio automóvel, um Hyundai HB20, cor cinza, para vender os entorpecentes na região do Lago Norte e em pontos do Plano Piloto. Os policiais identificaram que o investigado é professor vinculado à Secretaria de Educação.  

Os investigadores encontraram o suspeito na terça-feira (15/10), no Cruzeiro. Durante 30 dias, os policiais o monitoraram para analisar a atividade criminosa. Eles constataram que o homem era conhecido como O Professor, por causa da profissão que exercia. Para os policiais, a posição social dele disfarçava o tráfico.  

O suspeito armazenava as drogas em envelopes de transferência bancária. Os policias acreditam que a embalagem servia para esconder os entorpecentes. Em endereços vinculados ao investigado, os agentes encontraram duas balanças de precisão, tesouras usadas para fracionar a droga e 15 porções de cocaína.

Segundo a Polícia Civil, o homem já havia sido preso por tráfico de drogas no ano passado. Além disso, consta contra ele outra registro policial. Em 2001, o investigado foi detido por porte de drogas.  
 
Em nota oficial, a Secretaria de Educação informou que apura a condutra do professor por meio de processo administrativo disciplinar. "Entre as penalidades cabíveis está a demissão, sobretudo por se tratar de caso reincidente. Atualmente, o professor já estava afastado das funções de regência, conforme determinado em processo disciplinar anterior", frisou o texto. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade