Publicidade

Correio Braziliense

Motorista agredido por agentes do Detran faz denúncia na Câmara Legislativa

André Luís Ferreira mostrou todos os documentos, mas se recusou a entregar a chave do carro. Por isso, foi agredido com spray de pimenta e arma choque


postado em 16/10/2019 23:20 / atualizado em 16/10/2019 23:46

O motorista foi atingido com spray de pimenta, levou choques e terminou preso(foto: Reprodução)
O motorista foi atingido com spray de pimenta, levou choques e terminou preso (foto: Reprodução)
O caso do motorista agredido na porta de casa por quatro agentes do Departamento de Trânsito (Detran) será debatido pela Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). A abordagem — feita na QNL, Taguatinga, na segunda-feira (14/10) — foi filmada por vizinhos e mostra André Luis Ferreira correndo dos servidores e sendo atingido por choques de taser. 

De acordo com o motorista, a abordagem ocorreu depois que ele ultrapassou viaturas do Detran. Ele apresentou os documentos e, mesmo não havendo irregularidades, os agentes solicitaram a entrega das chaves do veículo. André se recusou, alegando que os servidores não eram dotados desse poder e, por isso, teria sido atingido com spray de pimenta
 
 

"Fui constrangido na porta da minha casa, com minha filha e minha esposa lá", conta André que correu dos agentes com o início da confusão. "Gritaram 'pega ladrão'. Eu não sou nenhum ladrão. Levei muito choque e tenho o laudo do IML (Instituto de Medicina Legal) que prova isso", garante. 

Mesmo no chão, um dos agentes continua dando choques e André chora, alegando que não havia feito nada. No vídeo é possível ouvir ele dizer: "Acabei de sair da igreja e vocês fazem um negócio desses comigo, rapaz. Eu não fiz nada". Algemado, ele foi levado para a delegacia e autuado por desacato à autoridade. O carro e a habilitação dele também foram apreendidos. Para pagar a fiança e a liberação do veículo, o motorista desembolsou R$ 2,5 mil.

André denunciou o caso à Comissão de Direitos Humanos. "Não atacamos nenhuma instituição. Mas qualquer servidor que comete um ato de excesso, de abuso de autoridade, precisa responder por isso. A Casa vai atuar no que compete a ela e dar os encaminhamentos necessários para acompanhar todo o processo administrativo", declarou o presidente da comissão, deputado Fábio Felix (PSOL). 

O Detran acompanha a apuração conduzida pela 12ª DP (Taguatinga), onde a ocorrência foi registrada. Em nota oficial, a entidade afirma que "foi aberto um processo administrativo para apuração das atitudes dos servidores"  (Veja a nota na íntegra).  Eles tiveram as armas de choque recolhidas, mas continuarão atuando durante as apurações.
 

O que diz o Detran

 
O Departamento de Trânsito do Distrito Federal – Detran/DF informa que está acompanhando toda a apuração da ocorrência de prisão em flagrante por desacato e resistência ocorrida na QNL e registrada na 12ª DP, em Taguatinga, na última segunda-feira (14).

Sobre a ação dos agentes envolvidos, informamos que quatro agentes de trânsito participaram da abordagem e que "foi aberto um processo administrativo para apuração das atitudes dos servidores. 

O dispositivo eletrônico utilizado na abordagem foi recolhido para auditoria interna, bem como os relatórios de serviço das equipes e da chefia imediata. Já está marcada para os próximos dias a oitiva dos servidores. Portanto, enquanto se apura a conduta dos agentes, estes continuarão a exercer suas atividades.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade