Publicidade

Correio Braziliense

Depois dos ipês, chegou a vez de os flamboyants colorirem Brasília

De origem africana, árvore tem cerca de 100 mil exemplares no Distrito Federal. Floração começa agora e vai até dezembro


postado em 17/10/2019 06:00 / atualizado em 17/10/2019 07:15

Ver galeria . 6 Fotos Ana Rayssa/CB/D.A Press
(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press )
Se os ipês coloriram a cidade durante o inverno, agora é a vez de a primavera trazer os tons quentes dos flamboyants. A espécie, de origem africana, está em diversos pontos do Distrito Federal e encanta quem a encontra pelo caminho. São cerca de 100 mil delas espalhadas por todo o DF, segundo a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap).

A maioria está concentrada no Plano Piloto, onde há mais de 50 mil flamboyants. As árvores podem ser encontradas em grande quantidade, por exemplo, ao longo do Eixão Sul, na Universidade de Brasília (UnB), em algumas quadras residenciais da Asa Sul e no Eixo Monumental. “Essa espécie é muito usada na arborização das principais cidades brasileiras. Em Brasília, foi amplamente difundida. Tem muitas árvores plantadas no Plano Piloto e nas áreas administrativas”, afirma o chefe do Departamento de Parques e Jardins da Novacap, Raimundo Silva.

Os servidores públicos Zaira Pereira, 51 anos, e Ivan Hilton Pereira, 49, têm o prazer de encontrar com uma dessas árvores toda manhã. O flamboyant está no percurso da caminhada matinal do casal. “Eu acho linda. Admiro toda vez que eu venho caminhar”, diz Zaira sobre a vegetação nas superquadras do Sudoeste.

Diferentemente dos ipês, que têm uma floração mais rápida, as flores do flamboyants duram de 30 a 40 dias. Elas florescem entre outubro e dezembro e podem ser encontradas em três cores: vermelho, laranja e amarelo. A árvore é de médio a grande porte, tem uma copa ampla e pode chegar a 18 metros de altura.

Também no Sudoeste, na frente do prédio em que trabalha a babá Jovenice Vieira da Silva, 28, um flamboyant chama a atenção. A árvore alta, repleta de flores, encanta quem descansa na sombra do prédio. “Ela é linda. Lá de cima, do apartamento, a gente consegue ver as flores. E nessa época de calor, além de enfeitar, deixa bem fresco aqui embaixo”, diz.

A comerciante Conceição Ferreira, 44, também acha que as flores, além de embelezar a cidade, proporcionam um ambiente agradável. Conceição é moradora de Águas Lindas (GO) e trabalha com a venda de ar-condicionado. Ela conta que anda Brasília inteira instalando os equipamentos e, entre um atendimento e outro, admira os flamboyants que colorem a paisagem. “É muito bom. Além de bonitos, fazem sombra. Para mim, todo lugar tinha que ter uma árvore dessa. É muito bom ter esse tipo de natureza por perto.”

Os flamboyants também deixam mais belos os dias de trabalho do taxista Sidney Girardi, 43. “Essas árvores são lindas. E dá um contraste muito grande com o azul do céu de Brasília. Para mim, devia ter muito mais”, ressalta.

Da Ilha de Madagascar

Também chamado de flor-do-paraíso e pau-rosa, o flamboyant foi trazido ao Brasil vindo de Madagascar, ilha na costa oriental da África, no século 19. O nome da árvore vem do francês e significa “vistoso”, “chamativo”.

Dicas para plantar

Quem quiser ter uma flamboyant por perto precisa procurar o Departamento de Parques e Jardins da Novacap. Raimundo explica que o ideal é não plantar perto de calçadas e edifícios, pois a vegetação tem raízes muito agressivas. “Procure a gente, vamos passar as orientações técnicas necessárias, como tipo de adubação, tipo de cova, localização, além de fazermos o acompanhamento”, esclarece. Em área pública, o plantio só pode ser feito com autorização da companhia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade