Publicidade

Correio Braziliense

Ceilândia recebe ações com oficinas, esporte, lazer e cultura

As atividades ocorrerão a partir desta sexta (18/10) em alusão ao programa "Sejus mais Perto do Cidadão"


postado em 17/10/2019 19:40 / atualizado em 17/10/2019 19:39

(foto: Divulgação/Sejus-DF)
(foto: Divulgação/Sejus-DF)

A Praça dos Direitos, localizada na QNN 13 de Ceilândia, recebe ações coordenadas pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus/DF), em alusão ao programa "Sejus mais Perto do Cidadão". As atividades serão realizadas em parceria com mais quatro secretarias de Estado, além da Administração de Ceilândia a partir desta sexta (18/10).

 

O programa leva para as Regiões Administrativas do Distrito Federal serviços e ações da secretaria e de outros órgãos do governo, além de orientações sobre programas de atendimento a vítimas de violência e direitos da população LGBT, pessoas com deficiência, idosos, crianças e adolescentes, atendimentos do Procon e do Na Hora. No sábado (19/10) será anunciada a revitalização da Praça pelo secretário da Sejus, Gustavo Rocha.

 

Para o secretário, a entrega da praça à comunidade “representa a ocupação de um espaço para a promoção da cidadania, do desenvolvimento social e do bem-estar da população da maior cidade da capital. Também é importante destacar o papel da Sejus e das demais secretarias que estão muito empenhadas para que a comunidade tenha acesso aos serviços ali prestados”, explica.

(foto: Divulgação/Sejus-DF)
(foto: Divulgação/Sejus-DF)

O governo definiu, por meio de decreto publicado em agosto deste ano, as ações que serão realizadas na Praça dos Direitos. As iniciativas terão apoio e articulação das secretarias de Educação; Saúde; Juventude; Esporte e Lazer; Cultura e Economia Criativa.

 

Para o subsecretário de Direitos Humanos e Igualdade Racial da Sejus, Juvenal Araújo, as ações na Praça dos Direitos serão voltadas para todos os públicos, desde crianças até pessoas idosas, atendendo aos anseios da população de Ceilândia que aguardava ansiosa pela revitalização do local. “É importante que a comunidade exerça seus plenos direitos e conquiste cada vez mais sua cidadania”. Além do mais, destaca, este será um “espaço de socialização dos moradores da Ceilândia”, reforçou.

 

Com informações da Sejus/DF

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade