Publicidade

Correio Braziliense

Suspeito de aplicar golpe em aluguel de imóveis é preso no Paranoá

O estelionatário via anúncios de imobiliárias em um site de compra e venda e anunciava como se fossem seus. Para fechar o contrato de locação, exigia o primeiro aluguel à vista e em dinheiro


postado em 18/10/2019 11:02 / atualizado em 18/10/2019 11:19

(foto: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
(foto: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
Pelo menos seis pessoas foram vítimas do golpe do aluguel falso no Paranoá nas últimas semana. Joarez da Fonseca Melo, 37, se passava por dono de casas e apartamentos anunciados para locação em um site de compra e venda. O estelionatário foi preso, em flagrante, na quinta-feira (17/10), quando abordava mais uma vítima na região. 

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito oferecia condições facilitadas para os possíveis clientes fecharem negócio rápido. Mediante um contrato falso, ele pedia o pagamento do primeiro aluguel adiantado. Os valores variavam entre R$ 400 e R$ 800, em dinheiro. Depois que recebia a quantia, Joarez entregava a chave do imóvel.

No entanto, quando os locadores chegavam na residência, a surpresa: as chaves não abriam nenhuma das portas. Quando tentavam entrar em contato com o falso proprietário, não conseguiam mais localizá-lo.

Segundo as investigações, o estelionatário via anúncios de aluguéis feitos por imobiliárias em um site de compra e venda, ia até elas e se mostrava interessado nos apartamentos. Ao pegar a chave do imóvel, fazia cópias e voltava dizendo que não queria mais alugar. Em seguida, anunciava a locação como sendo o proprietário.

A polícia chegou até o suspeito quando um casal tentou abrir a porta da casa e percebeu que havia sido enganado. 

Com Joarez, a polícia encontrou cartões de bancos com nome de terceiros, três máquinas de cartão, envelopes de depósito, um dispositivo para capturar cartão e etiquetas com informações e telefones falsos. A 6ª DP investiga se mais pessoas foram vítimas do estelionatário. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade