Publicidade

Correio Braziliense

Mecânicos acham corpo de mulher em oficina ao chegar para trabalhar

Caso aconteceu nesta segunda-feira, no Guará. Aparentemente, Rubiana Rosa, 44 anos, caiu de um prédio vizinho e atravessou o teto da oficina. Polícia investiga o caso


postado em 21/10/2019 13:20 / atualizado em 21/10/2019 14:48

Rubiana Rosa, 44 anos, costumava visitar um casal de amigos moradores do prédio de onde ela caiu(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Rubiana Rosa, 44 anos, costumava visitar um casal de amigos moradores do prédio de onde ela caiu (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
O corpo de uma mulher foi encontrado dentro de uma oficina mecânica, no Guará. Funcionários do estabelecimento se depararam com a vítima, Rubiana Rosa, 44, ao chegar para trabalhar, na manhã desta segunda-feira (21/9). Agentes da delegacia da região administrativa investigam o caso. 

A suspeita dos policiais é a de que a vítima tenha caído de um prédio vizinho e atravessado o telhado. O corpo estava em um tanque usado para limpar peças de automóveis. 

Buraco no teto

Ao Correio, o dono da oficina, Edilson Dias Gonçalves dos Santos, 40 anos, contou que o comércio ficou fechado durante o fim de semana. "Quando entrei, vi um buraco no teto. Em seguida, achei o corpo. Na mesma hora, chamei a polícia militar”, detalhou. 

Moradores da região contaram que, no sábado (19/10), escutaram um barulho estranho, mas pensaram se tratar de alguma obra. Por volta das 12h desta segunda-feira, peritos da Polícia Civil trabalhavam na cena do ocorrido para identificar as circunstancias do incidente.
 
Peritos da Polícia Civil foram ao local para investigar as circunstâncias da morte(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Peritos da Polícia Civil foram ao local para investigar as circunstâncias da morte (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
 
 
De acordo com o delegado à frente do caso, João Maciel, o caso é tratado como feminicídio. "Faz parte do protocólo da Polícia Civil registrar todo caso de mulher dessa forma. Com o andar das investigações, podemos eliminar esse qualificador", explicou. 
  
Segundo o investigador, Rubiana frequentava o prédio de onde caiu para visitar um casal de amigos. "Testemunhas informaram que no sábado aconteceu uma discussão entre rubiana e esses colagas. Ainda vamos ouvi-los para entender o que aconteceu", disse. 
 
Rubiana deixa três filhos e um neto. Ela morava duas ruas acima do lugar onde foi encontrada morta. Amigos e familiares compareceram à oficina, porém, abalados, informaram não querer conceder entrevistas. "Também não entendemos o que aconteceu. Não temos o que dizer", ressaltou o namorado da vítima. 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade