Publicidade

Correio Braziliense

Semana será de chuvas, trovoadas e ventos fortes no DF, diz Inmet

Águas voltaram a cair nesta segunda-feira (21/10), depois de um fim de semana de muito calor e seca. Previsão do Inmet é de pancadas fortes e trovoadas nos próximos dias. Instituto chegou a emitir alerta em razão das rajadas de vento


postado em 22/10/2019 06:00

Foram registradas precipitações ontem no centro de Brasília e em outras regiões do Distrito Federal, como Planaltina, Sobradinho e Paranoá(foto: Vinicius Cardoso Vieira/CB/D.A Press)
Foram registradas precipitações ontem no centro de Brasília e em outras regiões do Distrito Federal, como Planaltina, Sobradinho e Paranoá (foto: Vinicius Cardoso Vieira/CB/D.A Press)
O céu claro foi aos poucos dando espaço para as nuvens entrarem em ação. Se no fim de semana a palavra que definia o tempo era calor, nesta segunda-feira (21/10), o céu nublado e a chuva trouxeram um pouco de frescor e alívio. Brasilienses registraram precipitações em diversos pontos do Distrito Federal, como Planaltina, Sobradinho, Paranoá, Asa Sul e Asa Norte. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de que as chuvas continuem até sexta-feira.

As águas ajudaram a diminuir a temperatura. Depois de o DF registrar 35°C no último domingo, a máxima ficou em 28°C nesta segunda-feira (21/10). Para quem não aguentava mais tanto calor, a chuva veio em uma ótima hora. É o caso da estudante Maria Fernanda da Silva, 19 anos, que sofria com as alergias, intensificadas pela seca. “Eu gosto dessa sensação do período chuvoso, de aconchego e refrescância. Às vezes eu me sentia fraca, justamente por conta da alergia. As reações físicas aumentavam e isso me atrapalhava. Por vezes, não me permitiam fazer certas atividades”, diz.

Moradora da Asa Norte, Larissa Aina Inaba Kurita, 20, ficou feliz com as precipitações, mas se preocupa com o trânsito da região. “Sempre que chove na Asa Norte dá alagamento e um congestionamento insuportável. Porém, não tem o que fazer. O jeito é aceitar e sair de casa com antecedência.” Contudo, a estudante pondera que, no auge das altas temperaturas e baixa umidade, o deslocamento era ainda pior. “Caminhar e pegar ônibus no sol escaldante e em uma secura extrema é insuportável, tem dias que é até difícil respirar. Meu nariz sangrou algumas vezes”, lembra.

A chuva também pegou algumas pessoas desprevenidas. A aposentada Lúcia da Silva, 65, moradora do Riacho Fundo, sempre anda com guarda-chuva na bolsa, mas justamente nesta segunda-feira (21/10), quando seria necessário, esqueceu. “Parece que eu estava segurando a chuva. E o pior é que não trouxe nem blusa de frio”, lamenta em tom de brincadeira.

O meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Olivio Bahia explica que a chuva desta segunda-feira (21/10) veio de um canal de nuvens que saiu do sul da Amazônia e atingiu a região central do país, chegando até o Sudeste. O tempo chuvoso deve permanecer nos próximos dias. “Tem boas chances de chuvas até sexta-feira. Para a outra semana, é preciso acompanhar direito para dizer se vai chover ou não”, afirma Bahia.

Alerta


As chuvas devem vir acompanhadas de trovoadas e rajadas de vento. Devido às precipitações intensas, o Inmet emitiu um alerta que deve durar até as 12h desta terça-feira (22/10). A previsão é de que chova até 50mm/dia, durante esse período, e os ventos cheguem a 60 km/h.

A intensidade das chuvas preocupa alguns moradores da capital. Maria José, mora na Asa Norte e costuma ficar assustada com as fortes chuvas. “Eu não gosto. Tenho muito medo da chuva, porque quando ela vem muito violenta até balança as janelas da minha casa”, pontua. Mas entre a secura extrema e a chuva, Maria José opta pela segunda. “Lábios ressecados, muito calor, muita dor de cabeça. Não dá vontade de fazer nada. Então, mesmo com o meu medo, prefiro essa época do ano.”

É importante também estar atento aos veículos, não só à condução, como também à manutenção. Idalmo cardoso, 51, servidor público, morador de Taguatinga, já se preveniu. “Com o período chuvoso, as pistas ficam muito escorregadias, e, por isso, eu já calibrei os pneus e desde do mês passado revisei os freios”, afirma. O servidor ainda torce para que o período garanta chuva suficiente para evitar racionamentos de água. “Ano passado, na época do racionamento toda a rotina da minha casa foi mudada para se adequar ao período. Sem contar o impacto ambiental.”

Restrição


A chuva veio em boa hora para algumas áreas do Distrito Federal. Nesta segunda-feira (21/10), as regiões de Planaltina e Sobradinho ficaram sem água devido à falta de recursos hídricos do sistema do Piripipau. A iniciativa faz parte do Plano de Restrição para o Sistema de Abastecimento de Água da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). Aprovado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa), o plano permite que a Caesb implemente medidas de restrição no abastecimento da região.

A companhia informa que devido às altas temperaturas, o período de estiagem e o aumento de consumo de água no último fim de semana, a captação da Caesb foi reduzida em 100 litros por segundo. Com a vazão atual de 160 litros, não seria possível garantir a demanda de água para a população de Sobradinho, Sobradinho II, Fercal e Planaltina. A Caesb pede, também, que moradores de São Sebastião e do Jardim Botânico economizem água, pois os mananciais que abastecem a região também estão em níveis baixos.

*Estagiária sob supervisão de Fernando Jordão

Previsão do tempo para esta terça-feira (22/10):

Nublado a encoberto com pancadas de chuva e trovoadas. Pode chover forte
Máxima:  30°C
Mínima:  18°C
Umidade:  entre 95% e 50%
 
Fonte: Inmet

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade