Publicidade

Correio Braziliense

Cemitérios do DF devem receber 500 mil pessoas no Dia de Finados

Para evitar filas e congestionamentos, brasilienses anteciparam a ida às unidades do Campo da Esperança para homenagear entes queridos. Neste sábado (2/11), horário de funcionamento foi estendido, e locais estarão abertos das 7h às 19h


postado em 02/11/2019 07:00

Equipes dos cemitérios serão reforçadas: administração terá 26 profissionais a mais, e segurança contará com 50 vigilantes extras(foto: Caroline Cintra/CB/D.A Press)
Equipes dos cemitérios serão reforçadas: administração terá 26 profissionais a mais, e segurança contará com 50 vigilantes extras (foto: Caroline Cintra/CB/D.A Press)
Cerca de 500 mil pessoas devem passar pelos cemitérios do Distrito Federal neste sábado (2/11) para o Dia de Finados, segundo estimativa da Polícia Militar. Antes mesmo da chegada do feriado, brasilienses começaram a visitar as unidades do Campo da Esperança para homenagear entes queridos que partiram. Familiares e amigos se aproximavam dos túmulos com flores, velas, orações e lágrimas. Na manhã desta sexta-feira (1/11), na Asa Sul, quem passava pela região percebeu um tráfego intenso de carros. Muitos aproveitaram para antecipar a visitação.

Desde que o marido faleceu, há cinco anos, devido a uma diabetes, a aposentada Maria de Fátima Ferreira, 64 anos, visita o túmulo dele. No entanto, o Dia de Finados, segundo ela, é mais especial. Temendo a lotação neste sábado (2/11), decidiu adiantar a homenagem.  “Todo ano, o Dia de Finados mesmo é sempre cheio. Então tento evitar pegar engarrafamento e filas. Ano passado vim um dia antes e estava mais tranquilo. Este ano está muito movimentado já. Acho que as pessoas pensam o mesmo que eu, evitar tumulto”, contou Maria de Fátima.

A aposentada vai pelo menos uma vez por mês ao cemitério e faz questão de zelar pelo espaço onde o marido está enterrado. “Acho importante fazer isso, porque é uma forma de lembrar com carinho da pessoa que se foi. Por isso, eu faço questão de estar sempre aqui, deixar tudo arrumadinho”, ressaltou.

O mesmo cuidado, aliás, foi pedido ainda em vida pela avó do professor de educação física Rafael Bonne, 28. Há três anos, ele e outros familiares se revezam para cumprir a promessa. “Nunca gostei de ir ao cemitério, mas depois que ela morreu eu venho. Foi ela quem me criou, e eu não poderia deixar de obedecer a um pedido dela. Ela dizia para a gente ter zelo em memória dela. A gente faz isso para a felicidade dela. Espero que ela esteja vendo de algum lugar”, disse.
 
"Nunca gostei de ir ao cemitério, mas depois que ela morreu eu venho. Foi ela quem me criou, e eu não poderia deixar de obedecer a um pedido dela", Rafael Bonne, professor, sobre a avó (foto: Caroline Cintra/CB/D.A Press)
 

A enfermeira Elisabete Cutrim, 63, foi ao local com flores da cor que a filha mais amava, o amarelo, nas mãos. Para ela, o espírito de quem morreu precisa de um reforço e, por isso, sempre faz visitas a familiares e amigos. “Tem gente que tem preconceito com isso, mas se é verdade ou não, não me importo. Faço porque eu quero, porque me sinto bem e me aproximo da minha filha assim. Mato a saudade, porque não é nada fácil. Família é projeto de Deus, e eu zelo da minha enquanto eu estiver aqui”, afirmou.
 
Elisabete levou flores amarelas, cor favorita da filha(foto: Caroline Cintra/CB/D.A Press)
Elisabete levou flores amarelas, cor favorita da filha (foto: Caroline Cintra/CB/D.A Press)
 

Especialista em inteligência espiritual, Fabrício Nogueira explicou que, mesmo após a morte, existe um processo de ligação entre as pessoas. Isso gera a necessidade de um estar unido ao outro, o que justifica a lotação dos cemitérios, principalmente no Dia dos Finados. Ele frisou, no entanto, que a data não deve ser apenas ritualística, mas que deve haver a ressignificação da vida de quem está na terra. “Nós refletimos mais quando lembramos dos ensinamentos e momentos deixados por aqueles que morreram. Dessa forma, nos aproximamos delas. O corpo não está presente, mas o espírito está aqui por meio das lembranças.”

Funcionamento


Para receber todos, a empresa Campo da Esperança, que gerencia os cemitérios da capital federal, estendeu o horário de funcionamento. Os portões irão abrir uma hora mais cedo, às 7h, e fechar uma hora mais tarde, às 19h. A administração também contratou mais funcionários. Serão 15 pontos de atendimento extras e 26 profissionais a mais.

A segurança também será reforçada, com 50 vigilantes extras, além dos 50 que trabalham regularmente. Os cemitérios ainda contarão com o apoio das polícias militar e civil, das secretarias de Segurança Pública e de Justiça, do DF Legal, das administrações regionais, do Departamento de Trânsito (Detran), do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e do Corpo de Bombeiros.

A programação no feriado também vai contar com o apoio da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), com o fornecimento de água para os visitantes nos seis cemitérios do DF. A orientação é de que os visitantes levem copos e garrafas reutilizáveis.

Horário estendido

Funcionamento dos cemitérios:
  • 7h às 19h
Endereço dos cemitérios do DF:
  • Campo da Esperança da Asa Sul — 916 Sul
  • Cemitério de Brazlândia — SNO, Conjunto E, Área Especial
  • Cemitério de Sobradinho — AR 7, Área Especial
  • Cemitério do Gama — SOE, Quadra 3, Área Especial, Setor Oeste
  • Santa Rita — SNO, Conjunto E, Área Especial, Planaltina
  • São Francisco de Assis — SOFHN, Área Especial, Taguatinga Norte

O que abre e o que fecha

Mesmo no sábado, o feriado vai alterar o funcionamento de serviços e órgãos públicos. Pontos turísticos e atividades culturais terão horários especiais. Serviços essenciais, como as unidades de pronto-atendimento (UPAs) e as emergências dos hospitais, funcionarão normalmente. Serviços de segurança funcionam em sistema de plantão. As Unidades Básicas de Saúde (UBS) e ambulatórios estarão de portas fechadas.

Saúde
  • As Unidades Básicas de Saúde (UBS) que abrem aos sábados não abrirão durante o feriado. Os ambulatórios não abrem aos sábados, e as emergências dos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) funcionarão normalmente.

Segurança
  • Todas as delegacias de polícia vão atender em regime de plantão ininterrupto de 24 horas, inclusive a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) e as duas delegacias da Criança e do Adolescente (DCA I e II).

Comércio
  • Os shoppings abrirão das 10h às 22h. O horário de supermercados e lojas de varejo varia de acordo com a escolha de cada estabelecimento. As farmácias terão expediente facultativo, exceto as que estão na escala de plantão e são obrigadas a abrir. Bares e restaurantes funcionam durante todo o dia. As unidades do Sesc e do Senac não funcionarão.

Transporte
  • Os ônibus do Sistema de Transporte Público Coletivo (STPC) irão circular de acordo com a tabela de domingo, com reforço das linhas normalmente utilizadas para acesso aos cemitérios do Plano Piloto, de Sobradinho, de Planaltina, do Gama, de Taguatinga e de Brazlândia. O reforço ocorrerá de acordo com a demanda verificada em cada uma dessas regiões administrativas, no período das 7h às 19h.

Trânsito
  • Não haverá atendimento nos postos do Detran, mas as equipes de educação, engenharia e fiscalização de trânsito atuarão em escala especial de plantão.

Lazer

Museu Nacional da República
  • Funcionará normalmente, das 9h às 18h30. Informações: 3325-6410.

Biblioteca Nacional de Brasília
  • O estabelecimento estará fechado durante o feriado. No domingo (3/11), abrirá normalmente, das 8h às 14h. Informações: 3325-6237.

Cine Brasília
  • Funcionará normalmente, com sessões às 16h, 18h e 20h. A programação pode ser consultada no endereço www.cultura.df.gov.br.

Zoológico
  • Funcionará normalmente, das 8h30 às 17h. A entrada custa R$ 5 a meia e R$ 10 a inteira. Crianças com menos de 5 anos não pagam. Informações: 3445-7000.

Torre de TV Digital
  • Funcionará normalmente, das 9h às 18h. Com visitação gratuita, os grupos são formados na hora, por ordem de chegada, observando a capacidade dos elevadores. Informações: 3321-7944.

Catetinho
  • Funcionará normalmente, das 9h às 17h. Informações: 3338-8803.

Memorial dos Povos Indígenas
  • Funcionará normalmente, das 10h às 17h. Informações: 3344-1154

Centro Cultural Três Poderes
  • Funcionará normalmente, das 9h às 18h. Informações: 3325-6244.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade