Publicidade

Correio Braziliense

Estado de alerta: Céu escurece e registra fortes chuvas em diversas áreas

Às 8h, a velocidade do vento estava em 27km/h, mas podem chegar a 60km/h ao longo do dia, segundo o Inmet


postado em 07/11/2019 08:40 / atualizado em 07/11/2019 15:51

Chuva causa transtorno em diversas regiões do DF(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Chuva causa transtorno em diversas regiões do DF (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
O dia amanheceu nublado e, por volta das 8h30, o que se via era um céu escuro e cinzento. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de chuva e trovoadas nesta quinta-feira (7/11). A expectativa era de que elas viessem com mais força no fim da tarde, porém os fortes ventos e as precipitações pegaram muitos de surpresa no período da manhã. 

A meteorologista Naiane Araújo explica que o tempo está bem instável. "A nebulosidade se potencializou. É uma área de instabilidade que se intensificou e veio do Norte atingindo o DF", detalha. Ela afirma que a intensidade da chuva pode variar durante o dia e de acordo com a região. 

A especialista afirma ainda que o último registro feito pelo Inmet constatou ventos em uma velocidade de 27km/h. Uma outra medição deve ser feita às 9h. Naiane explica que o DF está em sinal de atenção e que os ventos podem chegar a 60km/h, e chover de 20 a 30mm por hora. 
 
Essas condições de tempo afetaram o trânsito. Na BR-040, sentido Plano Piloto, poucos motoristas se arriscam a enfrentar o trânsito. Dezenas de carros estão estacionados no acostamento, aguardando as precipitações cessarem para prosseguir. Apesar das intensas chuvas, não há formação de congestionamento entre a saída do Gama e o Park Way. 
 
Às 8h42, um galho de uma árvore caiu em frente a Aliança Francesa de Brasília, na 708/908 Sul, poucos instantes após a passagem de alguns veículos. Funcionários da instituição colocaram um cone para sinalizar a área, mas um dos carros que passou pelo local atropelou o objeto. Três pessoas que estavam no local levantaram o tronco e o colocaram na calçada. Veja um vídeo com o momento da queda:
 
Ver galeria . 6 Fotos Ana Rayssa/CB/D.A Press
(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press )
 

Alerta da Defesa Civil

A Defesa Civil emitiu, por volta de 8h50, um sinal de alerta de chuvas intensas com ventos fortes e raios para todo o DF. "Alerta de chuvas intensas com ventos fortes e raios, procure abrigo em local seguro, evite trafegar em locais alagados, dúvidas ligue 199 ou 193", informou a nota.
 
Árvore caiu na W3 Sul, 504/505(foto: Lis Cappi/CB/D.A Press)
Árvore caiu na W3 Sul, 504/505 (foto: Lis Cappi/CB/D.A Press)
"É importante quando sair de casa tomar cuidado com enxurradas em locais com alagamentos. Para quem está de carro, é bom evitar passar em cruzamentos onde a água esteja acima do meio-fio", recomendou o coordenador de Operações da Defesa Civil, tenente coronel Sinfrônio Lopes.
 
Ele ressalta ainda que as pessoas devem evitar deixar crianças sozinhas, bem como evitar usar elevadores em momentos de instabilidade do fornecimento de energia. Para fins de prevenção, a manutenção de carros e residências também é indicada. "A população deve também buscar fazer consertos e manutenções necessárias o mais rápido possível", disse. 
 
Além da emissão do alerta, o órgão realiza atendimentos e o acompanhamento de áreas de maior risco. "Estamos fazendo o monitoramento das áreas de risco, principalmente Vicente Pires, porque está em obras, e o Sol Nascente", afirmou o coordenador.

Alagamentos e queda de energia 

Dona do carro lamentou o prejuízo, mas se preocupou primeiro com a segurança (foto: Reprodução )
Dona do carro lamentou o prejuízo, mas se preocupou primeiro com a segurança (foto: Reprodução )
O Correio recebeu informações de leitores de que diversos estacionamentos registram alagamentos. Na 511 Norte, por exemplo, fotos mostram a água encobrindo metade dos carros. A consultora de turismo Jaqueline Costa, 27 anos, teve o veículo, o Volkswagen Gol branco que aparece na foto, submerso. Ela conta que estava indo para o trabalho quando se deparou com a enchente.
 
''Quando percebi já estava no meio dela. Começou a entrar água no carro, fiquei com medo de não conseguir mais sair, deixei o carro lá e fui me abrigar'', conta. A condutora afirma que perdeu a parte elétrica do carro e que está aguardando o motor secar para saber se ele ainda vai funcionar. ''Com certeza vai ser um grande prejuízo'', lamenta.
 
Na Universidade de Brasília (UnB), algumas salas ficaram alagadas durante a manhã. Por meio de nota, a instituição informou que foi afetada com o temporal e houve um pico de energia, que deixou o campus Darcy Ribeiro sem luz por cerca de 10 minutos e dezenas de árvores caíram com a força do vento. "A água que chegou ao ICC, foi seca e não houve prejuízo às aulas", afirmou. O texto diz ainda que os eventuais cancelamentos partiram de decisões individuais de docentes, "provavelmente na hora em que a chuva estava mais forte". 
 
População também encontrou placas caídas com a força do vento e da chuva(foto: Reprodução )
População também encontrou placas caídas com a força do vento e da chuva (foto: Reprodução )
Na Rodoviária de Brasília, passageiros do Metrô relataram inundações na Estação Central. Regiões como o Guará II ainda tiveram queda de energia. O Corpo de Bombeiros informou que está sem acesso ao sistema de ocorrências, pois várias unidades da corporação estão em regiões sem energia. 
 
Moradora do Guará 1, a dona de casa Erllen Freire, 56 anos, contou que desde às 8h30 a região onde mora está sem energia. Até as 12h ainda não tinha voltado, já são quase quatro horas sem luz. "Liguei na CEB, mas me falaram que tinha vários pedidos de informação e que estavam tentando organizar", disse. "A gente depende de energia para tudo. Lavar roupa, fazer comida. Aqui no prédio não tem elevador e as escadas estão sem energia. É um perigo, porque muitas pessoas tem filho de colo e precisamos subir ou descer. Tudo isso prejudica", afirmou.
 
Por meio de nota oficial, a Companhia Energética de Brasília (CEB) informou que devido os ventos fortes e descargas atmosféricas que chegaram à capital federal pela região leste nesta manhã, a atuação do sistema de proteção elétrica ocasionou a abertura de várias linhas de 138 quilovolt (kV). ''Com isso, por volta das 7h50 diversas subestações da companhia deixaram de funcionar temporariamente", diz o texto.

A CEB afirmou ainda que as equipes de operação realizaram os procedimentos e, entre 8h40 e 9h12, as subestações foram religadas. O órgão verifica se ainda existem circuitos desligados para que as equipes de plantão possam atuar. As unidades atingidas abastecem 187.004 unidades consumidoras, o que representa 17,3% dos clientes da companhia. 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade