Publicidade

Correio Braziliense

Corpo encontrado esquartejado em bueiro é de segurança de restaurante

Marcos Aurélio Rodrigues de Almeida estava desaparecido desde sábado (9/11). Investigadores encontraram os restos mortais nesta terça-feira (12/11)


postado em 12/11/2019 15:46 / atualizado em 12/11/2019 22:07

O corpo de Marcos Aurélio Rodrigues de Almeida foi encontrado em um bueiro(foto: Facebook/Divulgação)
O corpo de Marcos Aurélio Rodrigues de Almeida foi encontrado em um bueiro (foto: Facebook/Divulgação)
Investigadores da 32° Delegacia de Polícia (Samambaia Sul) confirmaram que o corpo encontrado esquartejado dentro de um bueiro nesta terça-feira (12/11) é de Marcos Aurélio Rodrigues de Almeida, 32 anos, morador de Samambaia. O homem, que era vigilante de um restaurante, estava desaparecido desde o sábado (9/11). 

Segundo familiares, ele havia saído do estabelecimento em que trabalhava, no Setor de Indústrias Gráficas (SIG), às 8h30 do sábado e ido para o ponto de ônibus. Após isso, ele ligou para a noiva informando de que iria pra a Rodoviária do Plano Piloto.
 
"Investigamos e não podemos adiantar nada. Pedimos auxílio da população para esclarecer o quanto antes esse crime. É um caso que chama atenção, pela própria crueldade do autor, de matar e esquartejar a vítima. Isso indica que o crimoso queria dificultar o trabalho da polícia. Não descartamos nenhuma tese de investigação", explicou o delegado Fernando Celso da Silva.

As pernas e os braços de Marcos estavam jogados em uma sarjeta na Quadra 327, no terminal de ônibus de Samambaia Sul. Segundo a Polícia Civil, no local foram encontrados apenas os membros inferiores e superiores, faltando as coxas. A cabeça também não foi localizada. O tronco estava dentro de um saco plástico preto, na Quadra 325. As roupas foram apreendidas para exame pericial. A família compareceu ao local e chegou a ver a aliança de Marcos.
 
O delegado acredita na possibilidade do envolvimento de outra pessoa no crime. "A vítima era corpulenta, o que dificultaria um autor matar e desovar. Mas não podemos confirmar nada, pois ainda estamos atrás de informações", disse.

*Estagiária sob supervisão de Fernando Jordão


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade